Publicidade
Vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão, tomou decisões que engessam relatório do caso Cunha || Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados
Vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão, tomou decisões que engessam relatório do caso Cunha || Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados
Vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), tomou decisões que engessam relatório do caso Cunha || Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados

Parte dos membros do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara não esconde o abatimento. A decisão do vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que impede a menção da suspeita de recebimento de propina de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no chamado “Petrolão” no relatório final que pedirá a cassação do presidente da Casa, é ainda mais rigorosa. Os deputados que quiserem apresentar “votos em separado” no dia da votação, não podem contar com o efeito surpresa. A regra de Maranhão exige a “publicidade prévia” dos votos em separado. Muitas vezes, em votações polêmicas no Congresso, o voto em separado é costurado na última hora, por acordo, para viabilizar a aprovação do texto. (Por Malu Delgado)

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Milan Guide

Milan Guide

Estou prestes a embarcar para o Salone Del Mobile.Milano, um marco na indústria do design que celebra sua...
Festa Rabanne na NK

Festa Rabanne na NK

  Uma noite em clima disco para celebrar a abertura da Rabanne em sua primeira operação na América...

Instagram

Twitter