Publicidade
Lorena Comparato está em diversos filmes, séries e ainda arruma tempo para projetos pessoas || Créditos: Reprodução
Lorena Comparato está em diversos filmes, séries e ainda arruma tempo para projetos pessoas || Créditos: Reprodução

Com talento que vem de família, Lorena Comparato está trabalhando mais do que nunca. Irmã da também atriz da nova geração, Bianca Comparato, e filha de Doc Comparato, roteirista e ator, e Leila Mendes, fonoaudióloga, sua presença é garantida na TV, cinema, streaming, teatro e onde mais puder mostrar a sua arte. Quer tirar a prova?

Nesta terça-feira, ela estreia em “Cine Holliúdy”, da Globo, e ainda pode ser vista em outras duas séries: “Homens”, do Comedy Center e “Samantha”, da Netflix. Além disso, comanda, ao lado de quatro amigas, a “Companhia de 4 Mulheres”, que produz podcast e filmes para o cinema. O segredo para conseguir lidar com tanto trabalho? Estudo! “Nesse quesito, sou a clássica nerd. Quanto antes estudar e se preparar, melhor”, revela.

Em entrevista ao Glamurama, Lorena fala também sobre feminismo, movimento muito presente em sua vida e que mudou a visão da atriz em relação aos assuntos que considera importantes: “O feminismo mudou tudo, principalmente como eu vejo as relações amorosas. Sempre permitia que as pessoas me tratassem de maneira ruim, como se eu fosse inferior e tudo bem”, comenta. Aos 29 anos, a atriz luso-brasileira sonha alto e nos conta o seu maior desejo dentro da profissão: interpretar uma vilã. À entrevista! (por Jaquelini Cornachioni)

Glamurama: Você é de uma família de artistas. Como eles te influenciam?
Lorena Comparato: Eles me influenciam em tudo. Eu sou filha de um roteirista/ator e uma fonoaudióloga, tenho irmã atriz também e outra que trabalha com cultura. A minha mãe sempre me ajuda a preparar os personagens. Por isso, nos falamos o dia inteiro, trocamos experiências e dicas. É incrível!

Glamurama: O que acha da luta das mulheres contra o machismo? Como tem atuado em relação a isso?
Lorena Comparato: A companhia teatral que mantenho é uma maneira de lutar contra isso. É importante partir do princípio de que vivemos em uma sociedade machista e o feminismo não é o oposto do machismo. Eu sinto que algumas pessoas tem medo desse termo. A sociedade supervaloriza os homens, por isso que o feminismo é sobre igualdade. Dentro da minha profissão, existe muita desigualdade salarial. Mas não é só aqui no Brasil, é no mundo, inclusive em Hollywood. Sempre lutei contra isso, principalmente conscientizando as pessoas, que precisam enxergar o mundo através do véu da igualdade.

Glamurama: E como o feminismo mudou a sua vida pessoal?
Lorena Comparato: O feminismo mudou tudo, principalmente como eu vejo relações amorosas. Sempre permitia que as pessoas me tratassem de uma maneira ruim, como se eu fosse inferior e tudo bem. Por sorte, nunca sofri nenhum abuso físico, mas sei que essa é a realidade de muitas mulheres. Para mim, essa situação é o extremo do machismo. Hoje percebo que não está tudo bem ser tratada como ‘alguém menor’ por ser mulher. Empoderamento é tudo.

Glamurama: Você está em “Cine Holliúdy”, que estreia nesta terça. Qual o principal desafio deste trabalho?
Lorena Comparato: O sotaque. Lá nós brincamos que falamos “ceares” porque o pessoal do Ceará parece que tem um dialeto próprio. Mas é muito legal ao mesmo tempo. Aprendi muito com a galera da equipe. E a minha personagem, a Formosa, é bem maluquinha, cheia de sonhos surreais.

https://www.instagram.com/p/Bw5bufpArm9/

Glamurama: Você também fez ‘Homens’, série de humor com Fábio Porchat. Já tinha trabalhado com comédia antes?
Lorena Comparato: Comédia é um gênero muito presente na minha vida. Eu sempre digo que até meus dramas são ‘tragicomédias’. Gosto da ideia de fazer humor, principalmente porque fiquei mais de três anos em ‘Pé na Cova’, um programa que falava de assuntos importantes com bom humor. É algo forte na minha carreira.

https://www.instagram.com/p/Bw2S6Adgw0t/

Glamurama: Além dessas duas séries, também está em  “Samantha”, da Netflix. Conta um pouquinho sobre a Laila, sua personagem. Se identifica com ela?
Lorena Comparato: A Laila é uma blogueira famosa e viciada em internet, uma crítica aos dias atuais com esse boom de influenciadores. É muito divertido interpretar ela, ao mesmo tempo em que é importantíssimo discutir esse assunto. A Laila, assim como a Formosa, é fora da caixinha e sonha bastante. Mas é nisso que me identifico com ela: sonho alto.

https://www.instagram.com/p/BxBULMVAwkg/

Glamurama: Como concilia tantos personagens diferentes?
Lorena Comparato: Bem, têm séries que eu praticamente faço ao mesmo tempo, mas não dá para confundir. Cada personagem é único e elaborado de maneira completamente diferente. Os textos também são bem específicos.

Glamurama: Hoje em dia, séries e filmes te interessam mais do que fazer novela, por exemplo?
Lorena Comparato: Tudo me interessa, na verdade. “Rocky Story” foi uma novela muito legal de gravar, o processo todo foi muito gostoso. Eu acredito que a arte em si é algo que me cativa, independente do formato. Eu vejo novelas em casa e sempre penso: “nossa adoraria fazer um personagem assim e estar nessa história”. Ao mesmo tempo, sou apaixonada por cinema e teatro. Inclusive, tenho uma companhia teatral, chamada “Companhia de 4 Mulheres”. Amo todo esse mundo.

Glamurama: E como é essa companhia teatral?
Lorena Comparato: Somos em quatro mulheres: eu, Andrezza Abreu, Karina Ramil e Anita Chaves. Começamos em 2011 porque sempre víamos que os meninos se juntavam e escolhiam uma menina para trabalhar. E por isso nos unimos, queríamos mais. Brincamos que desde aquela época somos feministas, mesmo sem saber disso. O nosso trabalho aborda questões do cotidiano com bom humor e sempre com o olhar feminino. Depois de várias esquetes, ganhamos prêmios e o trabalho começou a florescer. Depois disso tudo, nós também lançamos um podcast, o primeiro de ficção do Spotify, que chama “Prato Frio” e já estamos preparando a segunda temporada.

Glamurama: O que pode nos adiantar sobre os projetos no cinema?
Lorena Comparato: Eu fiz “Boca de Ouro”, dirigido por Daniel Filho, em que faço a Celeste. Esse filme é incrível porque fala sobre vários pontos de vista de uma situação: é um longa sobre verdade. Também fiz “Meu Álbum de Amores”, em que participo sendo uma das paixões do personagem principal. E, por último, “Canta para Subir”, um filme religioso que me aproximou bastante do que de fato é a Umbanda, que me aproximou da religião. Para fazer esse filme, visitamos vários Centros e estudamos os Orixás. Sou muito espiritualizada e a Umbanda dialoga bastante com a minha fé.

Glamurama: Com tantos personagens diferentes na lista, ainda existe algum tipo que gostaria de interpretar?
Lorena Comparato: Eu queria muito fazer uma vilã. Esse tipo de personagem me intriga, principalmente algo como uma serial killer.

Glamurama: Qual é o seu segredo de atriz?
Estudar!Eu sou muito estudiosa e acredito que essa é a chave de tudo. Leio com antecedência os textos para pegar a essência de cada personagem e deixar tudo bem vivo na minha cabeça. Nesse quesito, sou a clássica nerd. Quanto antes estudar e se preparar, melhor. Na hora da gravação é tanta coisa, então nada de decorar nos últimos minutos. Essa é a minha dica sempre.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Dia 10 de Abril

Dia 10 de Abril

Altas horas   Ver essa foto no Instagram   Uma publicação compartilhada por VIRAGE (@virage.paris) Não são as...

Instagram

Twitter