30.08.2017  /  11:59

Nos 87 anos de Warren Buffett, 5 lições financeiras do investidor mais famoso do mundo

Warren Buffett || Créditos: Getty Images

Warren Buffett completa 87 anos nesta quarta-feira em meio à notícia de que sua empresa de investimentos, a Berkshire Hathaway, se tornou a principal acionista do Bank of America, o segundo maior banco dos Estados Unidos. Atualmente o quarto homem mais rico do mundo com uma fortuna de US$ 76,8 bilhões (R$ 243,1 bilhões), Buffett gastou US$ 5 bilhões (R$ 15,8 bilhões) no auge da crise do sistema financeiro americano, em 2011, para comprar papéis da instituição que hoje valem US$ 16,5 bilhões (R$ 52,2 bilhões) – um ganho de impressionantes US$ 11,5 bilhões (R$ 36,4 bilhões).

Claro que ele está sendo elogiadíssimo pela sagacidade para os negócios que mostrou, mais uma vez, com a transação e que o transformou no investidor mais famoso do mundo. Mas será que existe alguma fórmula para se chegar ao “nível Buffett de enriquecimento”? De acordo com o próprio bilionário, existem, sim, algumas regras básicas que devem ser seguidas na hora de investir, e a gente entrega 5 delas a seguir, com base em frases famosas dele.

Olho no futuro é tudo || Créditos: Getty Images

“Se alguém está sentando na sombra hoje é porque alguém plantou uma árvore há muito tempo”

Um das maiores dicas de Buffett para novos investidores é a tal da persistência. Segundo o bilionário, a sede por lucros rápidos, principalmente na bolsa, faz com que muitos deles percam boas oportunidades de ganho a longo prazo. Traduzindo: pular de galho em galho apenas focando em ganhar dinheiro rapidamente pode fazer sentido por um tempo, mas não é um plano sólido para o futuro. “Invista apenas naquilo que você se sentirá confortável em manter no caso de os mercados se fecharem por dez anos”, ele costuma dizer.

Comprar na baixa e vender na alta? Tô fora! || Créditos: Getty Images

“Preço é o que você paga; valor é o que você recebe”

A dica aqui é comprar sobretudo aquilo que você acredita que irá se valorizar no futuro, e não apenas porque está barato, o que pode eventualmente custar caro. Buffett seguiu à risca essa regra quando começou a investir na Apple com mais afinco, a partir de 2011. Hoje em dia ele possui mais de 130 milhões de ações da fabricante do iPhone, que valem mais de US$ 20 bilhões (R$ 63,3 bilhões). Trata-se da terceira maior posição dele em empresas listadas na bolsa depois das fatias que possui no banco Wells Fargo e Kraft Heinz, nas quais, aliás, também sempre acreditou.

De grão em grão… || Créditos: Getty Images

“Dinheiro é para um negócio o que o oxigênio é para uma pessoa: ninguém se lembra dele quando tem de sobra, mas ninguém o tira da cabeça quando falta”

Buffett é um dos maiores defensores de que pessoas e empresas devem sempre manter uma espécie de poupança à disposição para o caso dos momentos de crise que, segundo ele, sempre chegam. Foi por causa disso que ele surfou sem menores problemas durante a crise de 2008, já que a Berkshire foi às compras na época em razão dos bilhões extras que tinha em caixa. Por ordem do bilionário, a empresa nunca deve ter menos do que US$ 20 bilhões (R$ 63,3 bilhões) de reservas, embora a cifra atual esteja bem acima disso, em US$ 85 bilhões (R$ 269,1 bilhões).

Conhecimento é tudo, sobretudo nos negócios || Créditos: Getty Images

“O risco é resultado de não saber o que se está fazendo”

Conhecido por passar horas por dia estudando possíveis novos negócios e fazer todos os tipos de cálculos, Buffett não é do tipo de bilionário que vê o risco com um certo afeto, ou até mesmo desejo. Isso porque ele acredita que os números são reveladores e capazes de dar uma ideia sobre tudo o que aconteceu e, mais importante, sobre o que está por vir. Sendo assim, ele não coloca dinheiro em coisa alguma sem antes entender onde está se metendo e considera que o melhor investimento que uma pessoa pode fazer é nela mesma, para adquirir conhecimento.

Dar bastante para continuar recebendo || Créditos: Getty Images

“Nunca esqueça de devolver para o mundo tudo de bom que você recebe”

Um dos maiores filantropos do planeta, Buffett diz que é dando que se recebe e por isso fundou juntou com o amigo e colega na lista dos mais ricos Bill Gates o The Giving Pledge, uma espécie de clube para bilionários dispostos a doar pelo menos a metade de suas fortunas em vida. Ele também já avisou que não pretende deixar mais do que US$ 10 milhões (R$ 31,2 milhões) para cada um de seus três filhos depois que morrer, um número ínfimo perto dos bilhões que possui. “Se você faz parte do 1% mais sortudo do planeta, é sua obrigação pensar nos outros 99%. E mesmo que você não esteja entre os 1% mais ricos, você ainda pode encontrar maneiras de ajudar os mais pobres”, ele disse certa vez. (Por Anderson Antunes)