29.11.2019  /  8:43

Nos 41 anos de Gael García Bernal, 5 motivos que provam porque o galã latino é um gigante em Hollywood

Gael García Bernal || Créditos: Reprodução

Baixinho para os padrões hollywoodianos, com apenas 1,70 m de altura, Gael García Bernal hoje é um dos maiores “gigantes” latinos que atuam na terra do cinema e da televisão. Bilíngue, o galã mexicano aparece com frequência tanto em produções gravadas em sua língua mãe, o espanhol, quanto naquelas faladas em inglês (ainda que com um irresistível sotaque hispânico).

Vencedor de um Globo de Ouro de Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical no ano passado, por seu papel como o Rodrigo de Souza de “Mozart in the Jungle”, Bernal completa 41 primaveras nessa sexta-feira ao mesmo tempo em que vive um dos melhores momentos de sua carreira, ao ponto de ser reconhecido como astro internacional da telona e da telinha.

Em homenagem ao ator, Glamurama lista a seguir outro motivos que provam porque ele é o máximo. Continua lendo…

Bernal em cena de “Amores Brutos” || Créditos: Reprodução

Ele já foi “mocinho” de novela mexicana

Bernal começou a atuar muito cedo, com 11 anos, e seu primeiro trabalho foi na novela da Televisa “Teresa”. Seu papel era o de um garoto que sofria praticamente em todos os capítulos da trama, e sempre acabava derramando uma lágrima. Isso lhe rendeu o apelido de chorão na época, mas também o transformou em um rosto reconhecido no México e em vários outros países da América Latina e, no futuro, atuações em dramas como “Amores Brutos”.

Qualidade e não quantidade || Créditos: Reprodução

O foco dele é ser ator, e não celebridade

Logo que começou a fazer sucesso em Hollywood, no começo dos anos 2000, Bernal recebeu várias propostas para estrelar franquias ou atuar em superproduções que poderiam tê-lo elevado ao posto de mega-celebridade e de multimilionário tão desejado por outros. Mas ele só queria saber de dar pinta em produções mais independentes, que lhe renderiam prestígio e cimentariam sua carreira.

Os sócios Gael García Bernal e Diego Luna || Créditos: Reprodução

Atuar e produzir ao mesmo tempo é com ele mesmo

Bernal faz parte do seleto clube de atores que costumam produzir seus próprios filmes, o que não é tarefa fácil mas aumenta os rendimentos dessa turma. Nesse caso, ele conta com o apoio de Diego Luna, seu sócio na produtora Canana. Além de projetos de ficção, a companhia também auxilia a produção de filmes locais em várias cidades do México que abordem temas relevantes para as comunidades.

Bernal não é fã de Trump e nem esconde isso || Créditos: Reprodução

Ele não tem medo de opinar sobre política

Quer assustar um grande nome de Hollywood e ver ele correndo? Então lhe pergunte sobre política. Bernal, por outro lado, jamais deixa de dar seus pitacos sobre o que está acontecendo no mundo nesse sentido e, como era de se esperar, ele não é fã de Donald Trump. “Acho que qualquer pessoa que consiga dar uma explicação racional por ter votado no Trump simplesmente não existe”, o ator disse logo depois da eleição do republicano, em 2016.

Até cantar, ele canta || Créditos: Reprodução

Ele também faz as vezes de cantor

Bernal solta a voz em estúdios desde 2007, ano em que gravou uma colaboração no álbum “Smokey Rolls Down Thunder Canyon”, do cantor venezuelano Devendra Banhart. Depois disso foram pelo menos outras doze outras colaborações. Ele também é craque em dublagens, e emprestou sua voz para um dos personagens do desenho “Coco”, que em 2017 arrecadou mais de US$ 807,1 milhões (R$ 3,4 bilhões) nas bilheterias internacionais. (Por Anderson Antunes)