24.08.2019  /  9:00

No Dia Internacional da Música Estranha, Glamurama apresenta as 5 mais sem pé nem cabeça da história

Obra de arte ou barulho gratuito? || Créditos: Reprodução

Hoje em dia existe dia pra comemorar tudo, e esse sábado é um deles, já que todo 24 de agosto é Dia Internacional da Música Estranha. Lançada em 1998 com o objetivo de celebrar aquelas músicas que a maioria das pessoas não se aventura a ouvir, a data comemorativa foi idealizada pelo músico americano Patrick Grant, que estudou na prestigiada faculdade de artes Julliard de Nova York, e a cada ano que passa se torna mais popular. Em certos lugares da Big Apple, por sinal, organizam-se até paradas só com o objetivo de celebrar os singles que, seja pela letra ou pela melodia, são tidos como “diferentões”.

Glamurama, é claro, resolveu pegar carona na brincadeira, e a seguir a gente apresenta uma listinha com 5 músicas consideradas estranhíssimas mas que mesmo apesar disso fizeram sucesso. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

“Timothy”, da banda The Buoys

Lançado em 1971 pela banda americana The Buoys, o hit “Timothy” chegou ao Top 40 dos mais tocados nos Estados Unidos mesmo apesar do tema pra lá de macabro que aborda: o canibalismo. A letra da música conta a história de um trio de mineiros que fica preso em uma caverna, da qual apenas dois saem vivos… Ui!

“Muskrat Love”, da dupla Captain & Tennille

Já imaginou como seria legal ouvir uma música sobre o amor entre dois ratos-almiscarados, um tipo de roedor que existe nos EUA? Nunca, né? Mas o compositor americano pensou justamente nisso, tanto que escreveu nos anos 1960 a música “Muskrat Love”, que foi popularizada em 1976 pela dupla de soft rock Captain & Tennille.

“Basketball Jones”, da dupla Cheech and Chong

A paixão de um homem pelo basquete foi transformada em canção pela dupla de comediantes americana Cheech and Chong, que em 1973 lançou “Basketball Jones”. Era pra ser só mais uma piada deles, mas fez o maior sucesso, emplacando a 15ª na lista das mais tocadas nos EUA naquele ano. Quem ri por último…

“Mmm Mmm Mmm Mmm”, do grupo Crash Test Dummies

Em 1994, o grupo canadense Crash Test Dummies lançou “Mmm Mmm Mmm Mmm”, cuja letra detalha o sofrimento de crianças que vivem sozinhas e isoladas das outras. Cheia de metáforas esquisitas, a música que já foi descrita como um dos piores hits da história tem um longo murmúrio como refrão e foi até indicada a um Grammy.

“Tusk”, da banda Fleetwood Mac

Considerada uma das melhores bandas da história, a anglo-americana Fleetwood Mac lançou em 1979 “Tusk”, e em meio a muito estardalhaço. Isso porque todo mundo esperava mais um trabalho de primeira da banda, mas no fim acabou ouvindo apenas uma sessão de testes de sons pra lá de estranha que ninguém entendeu muito bem.