06.01.2021  /  13:57

No Dia da Gratidão, Glamurama entrega cinco livros que explicam e ensinam tudo sobre esse sentimento

Dia da Gratidão || Créditos: Getty Images

“As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.” Foi assim que o filósofo grego Epicuro definiu gratidão na antiguidade. Agora, o termo virou febre nas redes sociais. Para ter ideia, só no Instagram, a #gratidão já foi usada mais de 31,8 milhões de vezes. Mas será que sabemos o que é gratidão? Como ser verdadeiramente grato com a vida e acontecimentos bons e/ou ruins? Dá para agradecer por algo aprendido em 2020?

Em entrevista para a revista J.P, Fabiano Moulin, especialista em neurologia da cognição e do comportamento, explicou como a gratidão funciona em nossa mente: “O cérebro trabalha com expectativa do mundo. Ele demoraria muito para esperar o mundo me inundar de informações e depois processar, então antecipa isso. Para tudo o que encaixa exatamente naquilo que o cérebro antecipa, não é liberado nenhum hormônio, nenhum neurotransmissor do prazer, como a dopamina. O banal nada mais é do que a satisfação da expectativa do cérebro. A gratidão é o exercício de desanestesiar nosso cérebro para que possamos perceber a realidade com toda sua complexidade. É óbvio que tem muita gente morrendo, muitas coisas ruins acontecendo, mas essa não é toda a realidade, há coisas boas acontecendo também. Não é ser um bobo alegre que não enxerga nada além do feliz, é desanestesiar o cérebro para que a gente consiga entender que tudo pode ser um privilégio se você olhar dessa maneira”, explicou o médico.

E para quem quer entender e ser profundamente grato – muito além dos posts em lugares bonitos – Glamurama lista os livros que explicam esse sentimento.

1 – “#umdiasemreclamar: Descubra por que a gratidão pode mudar a sua vida” – de Davi Lago, Marcelo Galuppo (Citadel Grupo Editorial)

Este livro lhe propõe o seguinte desafio: passe um dia (24 horas) sem reclamar. Para realizá-lo, você precisará registrar o horário em que iniciará o exercício. E não será preciso registrar quantas vezes você viola seu comando porque, a cada vez que você o fizer, deverá reiniciar a contagem do tempo. Segundo os autores, a principal função deste exercício é tornar-nos conscientes de que a ingratidão é o padrão natural do ser humano. Além dele, você encontrará aqui mais seis exercícios de gratidão e mudará para sempre a maneira como encara os seus problemas.

2 – “O livro da gratidão: Inspiração para agradecer” – Carolina Chagas (Editora Fontanar)

A verdade é que agradecer é um desafio diário. Afinal, é tão fácil se deixar levar pela enormidade de problemas e obstáculos que surgem todos os dias… Sabemos que quem é grato é mais feliz. Então, como fazer para superar a mania de reclamar a cada nova dificuldade? Este livro nos lembra, através de lindas frases e exercícios, de todos os motivos pelos quais podemos ser gratos e nos ensina a praticar aquilo que nascemos para fazer.

3 – “Gratidão” – Oliver Sacks (Companhia das Letras)

Durante os últimos meses de sua vida, Oliver Sacks escreveu uma série de ensaios nos quais explorou de maneira comovente seu percurso pessoal para concluir a vida e enfrentar a própria morte da melhor forma. Este livro traz quatro textos publicados no ‘New York Times’ entre julho de 2013 e agosto de 2015, pouco antes de ele morrer. Juntos, formam uma ode à singularidade de cada ser humano e de gratidão pelo dom da vida. Sacks reflete sobre o significado de levar uma existência que valha a pena.

4 – “As coisas que você só vê quando desacelera” – Haemin Sunim (Editora Sextante)

O livro é para quem deseja tranquilizar os pensamentos e cultivar a calma e a autocompaixão. Ele nos ajuda a entender nossos relacionamentos, nosso trabalho, nossas aspirações e nossa espiritualidade sob um novo prisma, revelando como a prática da atenção plena pode transformar nosso modo de ser e de lidar com tudo o que fazemos. Você vai descobrir que a forma como percebemos o mundo é um reflexo do que se passa em nossa mente. Quando nossa mente está alegre e compassiva, o mundo também está. Quando ela está repleta de pensamentos negativos, o mundo parece sombrio. E quando nossa mente descansa, o mundo faz o mesmo.

5 – “Essencialismo” – Greg Mckeown (Editora Sextante)

Neste livro, Greg McKeown mostra que, para equilibrar trabalho e vida pessoal, não basta recusar solicitações aleatoriamente: é preciso eliminar o que não é essencial e se livrar de desperdícios de tempo. Devemos aprender a reduzir, simplificar e manter o foco em nossos objetivos.