08.06.2020  /  9:40

No aniversário de Kanye West, relembre 5 dos momentos mais polêmicos do rapper

Kanye West || Créditos: Reprodução

Diz aí, glamurette: você consegue imaginar uma Hollywood sem Kanye West? Muitos dos maiores bafões que chacoalharam a meca do showbiz nos últimos tempos tiveram o dedo (e, por vezes, a mão inteira…) do marido de Kim Kardashian, que nessa segunda-feira chega aos 43 anos sem dar sinais de que pretende parar de causar tão cedo e, justiça seja feita, acabou se tornando uma das únicas celebridades bilionárias do planeta em parte graças a esse seu lado mais, digamos, “exagerado”.

O rapper e estilista certa vez até se auto-declarou o maior artista vivo da atualidade, mas exageros à parte ele realmente é um caso raro, daqueles cuja simples pronúncia do nome já é motivo para render olhos bem arregalados de alguns. Aliás, que o diga uma certa loira famosa da música…

Em homenagem a West, Glamurama relembra a seguir  5 cinco desses momentos de “Maria causadeira” dele. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

Na capa da “Rolling Stone”: reconheceu o Jesus? || Créditos: Reprodução

Quando West posou de Jesus para a “Rolling Stone”

Recém-saído do sucesso de “Jesus Walks”, hit que lançou em 2004, o rapper ainda conquistou um dos maiores feitos para qualquer astro ou estrela do showbiz americano que se preze: ele estampou uma capa da “Rolling Stone”, uma das bíblias da indústria de entretenimento dos Estados Unidos. Não bastasse isso, ele fez questão de posar como Jesus Cristo para a publicação, com direito a coroa de espinhos e tudo, e ainda provocou os leitores: “Vocês querem que eu seja o maior, mas não me deixam dizer que sou o maior?”. Foi um e-s-c-â-n-d-a-l-o!

Tadinha da Taylor… || Créditos: Reprodução

O dia em que Taylor Swift foi “Kanyeiada”

Exibido em setembro de 2009, o Video Music Awards daquele ano entrou para a história como um dos mais estrelados de até então, com uma homenagem de Madonna a Michael Jackson – que havia morrido meses antes – logo início, e grandes nomes como Beyoncé Knowles, Lady Gaga e Britney Spears concorrendo aos principais prêmios. Mas quem acabou roubando a cena na premiação foi West, que subiu ao palco assim que Taylor Swift foi anunciada como a vencedora na categoria de Melhor Videoclipe Feminino (por “You Belong with Me”). É que o rapper achava que a Queen Bey (que concorria por “Single Ladies”) era a verdadeira merecedora da honraria. Precisa dizer que virou meme?

Kanye West e Martin Luther King Jr. (o original) || Créditos: Reprodução

Sai Kanye West, entra Martin Louis the King Jr. Oi?

Ainda em 2009, quando fechou uma parceria com a Louis Vuitton para criar uma linha de sneakers com chegou às lojas da maison francesa com um preço de etiqueta mínimo na casa dos US$ 800 (R$ 3.950), West anunciou no lançamento da empreitada que seu nome passaria a ser Martin Louis the King Jr. em homenagem ao ativista pelos direitos civis dos americano Martin Luther King. A troca de alcunha não pegou, e teve quem torceu o nariz para a “brincadeira”, alegando que com certos assuntos não se deve fazer piada. Mas fizeram, e nas redes muitos internautas começaram a trolar o rapper, a quem passaram a tratar como Malcom Xbox, em alusão a Malcom X, outro herói famoso da causa.

Só um bilhãozinho, Zuck… || Créditos: Reprodução

“Hey, Zuck! Tem um bilhãozinho sobrando aí?”

E como não falar da vez em que West, meio que como quem não quer nada, resolveu pedir dinheiro publicamente para ninguém menos que Mark Zuckerberg, o cofundador e CEO do Facebook? Foi há três, e ainda por cima no Twitter, uma plataforma que concorre com o Face. Na época com uma dívida estimada em US$ 53 milhões (R$ 261,7 milhões), o rapper tentou entrar no azul e de quebra conseguir um extra para bancar suas ideias – todas geniais, claro. “Mark, me dê US$ 1 bilhão (R$ 4,94 bilhões). Seguidores, me ajudem [a convencê-lo]!”, ele tuitou, na lata. Consta que até hoje o oitavo homem mais rico do mundo não respondeu o pedido de empréstimo. Ainda bem que West entrou para o clube dos dez dígitos anos depois com o sucesso de sua linha de sneakers em parceria com a Adidas, a Yeezy.

O rapper com Trump, seu bff mais inusitado || Créditos: Reprodução

Faça a América grande de novo, porque estou chegando…

Outra que West aprontou há três anos e que até hoje ninguém entendeu direito foi o apoio irrestrito dele ao então candidato à Casa Branca Donald Trump, ao mesmo tempo em que desceu a lenha em Barack Obama. Isso porque a maioria da turma hollywoodiana e grande parte dos afro-americanos como ele rejeitavam a ideia de ter o bilionário como seu presidente, mas aparentemente o rapper – que certa vez afirmou sonhar com a presidência dos EUA – não deu muita bola pra isso. Justiça seja feita, o próprio Trump não deve ter decifrado o que West viu nele, tanto que em um encontro dos dois em outubro do ano passado, já como chefe do executivo dos EUA, o político passou o tempo inteiro olhando para o bff inusitado com cara de quem não estava entendendo nada.