17.11.2017  /  10:50

No aniversário de Martin Scorsese, os 5 melhores momentos do diretor na telona

Martin Scorsese || Créditos: Getty Images

Um dos diretores de cinema mais celebrados de Hollywood faz anos nesta sexta-feira: Martin Scorsese, o homem por trás de clássicos como “Taxi Driver” e “Os Bons Companheiros” está completando 75 primaveras. Homem de paradoxos – ele é o cineasta vivo que mais recebeu indicações ao Oscar, apesar de ter levado a estatueta de Melhor Diretor somente em 2007 (pelo filme “Os Infiltrados”) – Scorsese não dá sinais de que pretende parar e está envolvido em vários grandes projetos para a telona.

A seguir, a gente lembra 5 dos melhores momentos da carreira do diretor e aproveita para falar um pouco mais sobre o que ele está preparando para o futuro. Confira:

Ellen Burstyn em “Alice Não Mora Mais Aqui” || Créditos: Reprodução

Alice Não Mora Mora Mais Aqui

Considerado o longa que colocou o nome de Scorsese no mapa, a produção de 1974 estrelada por Ellen Burstyn fez bonito nas bilheterias, com uma arrecadação total de US$ 21 milhões (R$ 68,9 milhões) ante a um orçamento de US$ 1,8 milhão (R$ 5,9 milhões), e recebeu três indicações ao Oscar, sendo que a atriz levou pra casa a estatueta de Melhor Atriz pela interpretação de uma viúva que viaja pelos Estados Unidos na companhia do filho adolescente em busca de uma vida melhor.

O diretor com Robert De Niro || Créditos: Reprodução

Os Bons Companheiros

Scorsese adora repetir parcerias de sucesso com os atores com quem trabalha e no filme de 1980 ele voltou a dirigir Robert De Niro (os dois já haviam trabalhado juntos antes no musical “New York, New York” e em “Taxi Driver”). Trata-se de um dos maiores clássicos da história do cinema, tanto que em 1990 foi incluído no National Film Registry, o acervo de filmes que são considerados dignos de preservação eterna pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.

DiCaprio com Scorsese nos bastidores do filme || Créditos: Reprodução

Gangues de Nova York

Depois de alguns anos sem fazer muito barulho em Hollywood, Scorsese voltou a brilhar em 2002 com o drama épico estrelado por Leonardo DiCaprio. O filme também marcou o início da parceria dele com o astro de “Titanic”, a mais bem sucedida das carreiras de ambos. Foi um sucesso com mais de US$ 193 milhões (R$ 633,4 milhões) arrecadados nas bilheterias internacionais e dez indicações ao Oscar, apesar de não ter levado nenhum prêmio da Academia.

Coppola, Scorsese, Spielberg e Lucas || Créditos: Getty Images

Os Infiltrados

Há quem diga que Scorsese já teve momentos mais memoráveis no cinema, mas o filme de 2006 tem um significado especial para o diretor: foi o primeiro que lhe rendeu um Oscar de Melhor Diretor, entregue pelo trio Steven Spielberg, George Lucas e Francis Ford Coppola no ano seguinte. Com DiCaprio mais um vez a bordo, além de Matt Damon, Jack Nicholson e Mark Wahlberg, “Os Infiltrados” é praticamente uma metáfora da especialidade de Scorsese, que são os filmes de gângsteres.

Scorsese e DiCaprio mais uma vez juntos || Créditos: Reprodução

O Lobo de Wall Street

Scorsese e DiCaprio voltaram a trabalhar lado a lado no filme de 2013, que é baseado em uma história real e é o maior sucesso financeiro da carreira do diretor, com mais de US$ 393 milhões (R$ 1,29 bilhão) arrecadados nas bilheterias. O filme, que rendeu a DiCaprio seu primeiro Oscar como Melhor Ator, aborda a corrupção em Wall Street no fim dos anos 1980 e ironicamente em uma polêmica real, já que parte de seu orçamento pode ter sido bancada por um esquema de desvio de dinheiro do governo da Malásia.

Aposentadoria? Nem pensar! || Créditos: Reprodução

O que vem por aí…

Scorsese está a um passo de ser confirmado como o diretor de uma cinebiografia do presidente americano Theodore Roosevelt e já acertou que vai dirigir a adaptação para o cinema do livro “The Devil In The White City”, ambas as produções com DiCaprio como protagonista. Além disso, ele também tem dedicado bastante tempo a projetos
para a TV e trabalha em um documentário sobre Bill Clinton em parceria com a rede HBO. Uma cinebiografia de Mike Tyson (estrelada por Jamie Foxx) também pode sair do papel em breve pelas mãos dele naquele que deverá ser seu primeiro filme sobre o universo do boxe desde “Touro Indomável”, de 1980. (Por Anderson Antunes)