03.05.2018  /  10:20

No aniversário de Keith Haring, as 5 telas mais caras do artista que causou em NY nos anos 80

Keith Haring || Créditos: Getty Images

Muito antes do britânico conhecido simplesmente como Banksy – talvez o maior nome do grafitti na atualidade – havia Keith Haring, rei da pop art em Nova York, durante boa arte dos anos 1980. Naqueles tempos era quase impossível passar por uma estação de metrô da cidade sem se deparar com algum trabalho do artista, cujos temas favoritos incluíam desde bebês radiantes até salsichas voadoras e cachorros transformados em divindades, sempre desenhados em espaços públicos inutilizados.

Haring se tornou um grande nome na cena cultural da Big Apple a partir de 1982, quando fez amizade com um grupo de pessoas descoladas do qual faziam parte o pintor Kenny Scharf, Jean-Michel Basquiat, Andy Warhol, o também grafiteiro Futura 2000 e Madonna, que ainda estava em processo de se transformar na material girl.

Mais pro fim da década, Haring passou a retratar temas polêmicos, como a homossexualidade e a AIDS, ambos ainda tabu. Inclusive foi em decorrência de complicações da doença que ele morreu no dia 16 fevereiro de 1990 deixando uma coleção de obras que hoje está entre as mais disputadas por colecionadores contemporâneos. Em homenagem ao ícone nova-iorquino, que faria 60 anos nesta sexta-feira, Glamurama lista as 5 telas mais caras assinadas por ele já vendidas em leilão, é só clicar na seta da galeria aí embaixo pra saber quais são:

*