Gisele Bündchen: a modelo que vale mais que US$ 500 milhões (o equivalente a R$ 1,64 bilhão)
Gisele Bündchen: a modelo que vale mais que US$ 500 milhões (o equivalente a R$ 1,64 bilhão) || Crédito: Getty Images

No aniversário de Gisele Bündchen, 8 fatos que evidenciam seu sucesso muito além das passarelas

4 Compartilhamentos
4
0
0
0
0
0
Gisele Bündchen
Gisele Bündchen || Créditos: Reprodução

Gisele Bündchen completa 41 anos de vida nesta terça-feira cheia de superlativos: uma das modelos mais famosas e bem pagas de todos os tempos, brasileira de maior visibilidade no exterior e… bilionária! De acordo com estimativas, ela faturou perto de US$ 500 milhões (R$ 2,6 bilhões) desde 2001. Detalhe: a fortuna de Tom Brady, marido dela, é estimada em US$ 250 milhões (R$ 1,3 bilhão).

Apontada em 2011, pela “Forbes” americana, como a primeira modelo com chances reais de se tornar bilionária em dólares, Bündchen ainda não chegou lá, mas está na metade do caminho e ainda tem tempo e energia de sobras para conquistar o feito. Além de um tino raro para os negócios, claro, e abaixo listamos alguns dos fatos e momentos que evidenciam esse lado “businesswoman” da top das tops. Confira:

#1 Em 2000, Bündchen assinou aquele que é até hoje o maior contrato entre uma modelo e uma grande marca – no caso, a grife de lingerie americana Victoria’s Secret. Por cinco anos de trabalho exclusivo para a VS, ela embolsou US$ 25 milhões (R$ 132 milhões), um recorde que até hoje não foi quebrado. Em 2005, o contrato foi renovado por mais dois anos.

#2 Uma das parcerias mais bem sucedidas da carreira de Bündchen ocorreu no início dos anos 2000, com a Dior. A grife, então sob o comando de John Galliano, buscava remodelar sua imagem como uma alternativa mais sexy para as consumidoras de luxo e Gisele, no auge do momento “return of the curves” da moda, era quem melhor simbolizada isso na época. Ela chegou a passar quatro dias sendo fotografada dentro de uma banheira de espuma para uma campanha de verão, sem reclamar. Tamanha dedicação lhe rendeu seis contratos consecutivos com a Dior.

#3 Bündchen também estrelou inúmeras campanhas para a Dolce & Gabbana e em 2006 foi escolhida por Domenico Dolce e Stefano Gabbana para ser o rosto do novo perfume da grife, o The One, em um acordo multimilionário. A D&G foi fundamental para a construção da imagem de Gisele entre os italianos e ela ficou tão associada com a marca que até mesmo Giorgio Armani já admitiu que não teria como contratá-la para representar sua label por causa disso.

#4 Também em 2006, Bündchen estrelou um comercial para a linha de computadores da Apple, um tipo de produto raramente anunciado por modelos. No filminho de 30 segundos, que fez enorme sucesso nos Estados Unidos e entrou para a cultura pop do país, ela aparece representando os computadores da empresa criada por Steve Jobs, enquanto um homem vestido como a bela se apresenta como um PC da rival Microsoft.

#5 Em 2009, Bündchen lançou a marca green de cosméticos Sejaa Pure Skincare. Segundo notícias da época, a marca chegou a atrair a atenção de gigantes como a Revlon e a Shiseido, que estariam interessadas em adquirir uma fatia do negócio.

#6 Já em 2011 Bündchen lança também sua própria marca de lingerie, a Gisele Bündchen Intimates. Além do currículo como Angel da Victoria’s Secret, líder mundial do segmento, ela também aproveitou para surfar na onda do crescimento do mercado de roupas íntimas brasileiro, um dos mais aquecidos em todo o mundo.

#7 Em 2014, Bündchen assinou um contrato com a Chanel para estrelar a campanha da linha de maquiagens da grife, a Les Beiges, e também para ser a estrela do novo comercial do perfume Chanel No. 5, o tipo de trabalho que é cobiçado não somente por modelos mas também por várias atrizes de Hollywood. O filminho de 58 segundos com a brasileira custou US$ 20 milhões (R$ 105,6 milhões) para ser produzido, parte dos quais são relativos ao cachê dela.

#8 No mesmo ano, Bündchen assinou um contrato de longa duração com a Under Armour, a marca de produtos esportivos que mais cresce nos Estados Unidos. Os detalhes do contrato são um segredo guardado a sete chaves, mas dá para ter uma ideia dos valores em jogo quando se leva em conta que a marca viu sua capitalização na bolsa disparar mais de US$ 590 milhões (R$ 3,1 bilhões) após o anúncio da contratação da supermodelo.