16.10.2020  /  9:00

No aniversário de 91 anos de Fernanda Montenegro, 10 posicionamentos inspiradores da diva da TV, teatro e cinema

Fernanda Montenegro / Crédito: Instagram

Nesta sexta-feira, Fernanda Montenegro completa 91 anos, carregando consigo memórias, histórias, e grandes trabalhos no teatro, televisão e cinema ao longo de 70 anos de carreira. E mais do que tudo isso, muita sabedoria! Sem papas na língua e antenadíssima, ela é sempre direta ao falar de diferentes assuntos, de política e ditadura militar, à idade e profissão. Celebramos a data lembrando de algumas frases e ensinamentos ditos pela sempre inspiradora e sábia Fernanda Montenegro.

Idade

“Penso todos os dias. O tempo todo. Não quero ser jovem e não me acho jovem, claro que não. Mas me sinto como um ser humano ativo. Esta palavra, “velha”, bem, deveriam inventar outra porque ela já vem contaminada de coisas como decadência, finitude. Os velhos são produtivos, apesar de terem uma sociedade que só cultua o novo. Existem velhos que produzem e muito”.

Diversidade

“Agora estamos falando pouco dessa revolução real que está acontecendo no Brasil, que é falar com liberdade o que se quer dizer. Isso está chocando um pouco, porque sempre teve alguém que falava mais alto. Neste momento, todo mundo está num palanque: nós estamos ouvindo todos. Ainda mais pela internet. Não eram só os homossexuais que estavam no armário. De uma certa forma o país estava em armários”.

Profissão

“Criaram uma fantasia em relação aos artistas em geral. Talvez nem tanto com relação àqueles do teatro, mas principalmente da televisão. A gente aparece na tela e se cria uma ilusão. Mas somos apenas trabalhadores como todos os outros, que, por um acaso, estão ali dando conta de um ofício artístico. O ideal seria que todos recebessem esse tratamento de artista na sua profissão. Os gregos falaram disso”.

View this post on Instagram

Esse especial cravou para sempre o momento de realização artística e de aceitação de novas possibilidades em meio a uma tragédia. Tivemos um momento especial. Isso foi consumado neste projeto, Nós nos envolvemos novamente. De uma forma muito amorosa e essencial, muito humana. Saímos mais completos diante da vida. Obrigada a todos que tornaram isso possível. #AmoreSorte #série #família #FernandaMontenegro #FernandaTorres #Quarentena Ps. para quem perdeu, ou quer rever, o episódio está na @globoplay Amor & Sorte Episódio 'Gilda e Lúcia' — Elenco: Fernanda Montenegro e Fernanda Torres — Participação especial: Arlete Salles, Ricardo Pereira, Joaquim Waddington. — Escrito por: Antonio Prata, Chico Mattoso, Jorge Furtado e Fernanda Torres. — Direção artística: Andrucha Waddington — Direção: Pedro Waddington — Fotografia: João Faissal e Pedro Waddington — Som: Joaquim Torres Waddington e Davi Torres [Episódio produzido em família, durante a quarentena.]

A post shared by Fernanda Montenegro (@fernandamontenegrooficial) on

Radicalização

“Todos temos o direito de nos posicionarmos. Não tiro o direito de ninguém. O problema é a radicalização desse pensar e no que ele pode se transformar. É caça as bruxas, de todos os lados”.

Cultura

“Investir em cultura não é caridade: é uma parceria que ajuda a projetar o Brasil internacionalmente”.

Carreira Internacional

“Hollywood está longe de me almejar. Sou feliz de ter nascido nesse país, de ter o carinho de um público que sempre me prestigiou”.

Beijo de novela

“Na minha idade, já conheço todos os tipos de beijos, já fiz todos. Beijamos de acordo com as necessidades das cenas. Se tiver que ser para valer, será”.

Ditadura

“Pedir a volta dos militares é coisa de doentes mentais”.

Extremismo político

“A situação toda esta muito radicalizada, na política, no comportamento. Tudo está muito extremado, e as coisas estão se radicalizando de uma forma muito desesperada”.

Ser avó

“Como avó eu sirvo de ouvido, dou palpites, não sou invasora. Mas a responsabilidade é dos pais. Então, já chega filtrado pra você. Quando tenho tempo fico com eles, mas não consigo muito, porque sou uma mulher muito ocupada”