25.01.2020  /  9:00

Nathalia Arcuri, que tem como missão tirar os brasileiros do vermelho, dá a letra: “A reforma da previdência foi apenas um paliativo”

Nathalia Arcuri || Créditos: Ricardo Carvalheiro / Divulgação

Ganhar um aumento, pagar as dívidas, ficar “rycaaa”. A verdade é que entra ano e sai ano, todo mundo quer mais dinheiro. Quem entende tudo do assunto é Nathalia Arcuri e seu canal Me Poupe!, no YouTube, que movimenta milhões de reais e de seguidores fiéis. Ela tem 34 anos, já lançou livro best-seller, faz podcast, dá curso de educação financeira… Endividados ou não, vale tentar aumentar os zeros da conta bancária com este bate-papo

Por Fernanda Grilo

J.P: O que todo mundo te pergunta?
NATHALIA ARCURI: Qual o melhor investimento?

J.P: Como não reclamar da vida financeira?
NA: Agindo para mudar, mas a maioria quer que a resposta e a solução caiam do céu.

J.P: O que esperar da economia em 2020?
NA: Quem estudar vai se dar muito bem. Só o conhecimento é capaz de diminuir riscos. Na macroeconomia teremos indicadores positivos. Mas sabe-se lá até quando.

J.P: Pegadinha da vida financeira saudável?
NA: Confiar em si e achar que já sabe de tudo ou ter certeza que não sabe de nada e deixar os outros escolherem por você.

J.P: Quem aprende a cuidar do seu dinheiro leva isso para a vida toda?
NA: A sensação de ter o domínio sobre o próprio dinheiro é viciante e libertadora.

J.P: Quando vale gastar um pouco mais?
NA: O problema não é o quanto você gasta, é o quanto você deixa de investir.

J.P: Por que deixamos tudo para a última hora?
NA: É do ser humano. Evoluímos como espécie, mas nossos antepassados das cavernas, sem perspectiva de futuro, continuam presos em nós.

J.P: Vamos conseguir nos aposentar?
NA: Com o INSS? Não. O futuro será desastroso para quem não fizer a própria previdência hoje. A reforma da previdência foi apenas um paliativo.

J.P: Como viver com o dólar tão alto?
NA: Sendo exportador e não importador e dando mais valor aos produtos, destinos, empreendedores e mão de obra nacionais.

J.P: Qual o pior hábito da atualidade?
NA: O imediatismo. A mania de agir pensando apenas no “hoje” é o que está matando a educação, capacidade produtiva, liberdade e recursos naturais.

J.P: Quantos cartões de crédito você tem?
NA: Tenho um e pago tudo com ele para acumular pontos.

J.P: Figura histórica para a sua vida.
NA: Admiro e sempre penso “o que Joana D’Arc faria?”.

J.P: Mania.
NA: Não consigo ficar sem fazer nada. Trabalho até nas férias.

J.P: Talento seu que ninguém conhece.
NA: Sou uma excelente churrasqueira e amo carros.

J.P: Melhor conselho que já ouviu.
NA: “Cresça e apareça”, do meu pai.

J.P: Melhor conselho que já deu.
NA: Tenha sempre um plano B.

J.P: Seu momento mais brilhante.
NA: O dia em que pedi demissão para empreender.

J.P: Quando você mente?
NA: Quando ganho presentes que não gostei e digo “nossa, amei”. Não consigo ser honesta nessas horas.

J.P: Para quem você diria “me poupe”?
NA: A todos os bancos de varejo do Brasil.

J.P: O que não gosta no mundo moderno?
NA: Do mimimi de mais e ações de menos.

J.P: Uma frase.
NA: “Ninguém deve nada a ninguém. Você deve a você mesmo.” É do Rocky Balboa.