25.09.2013  /  10:49

Nacional ou internacional: Fiuk e Emicida divergem sobre nova MTV

Fiuk e Emicida: que cara terá a nova MTV?

Está todo mundo curioso para saber como será a nova MTV do Brasil, que irá ao ar no próximo dia 1º pela TV a cabo. Controlada agora pela Viacom, dona da emissora em vários países, inclusive nos Estados Unidos, o canal promete espaço para músicas brasileiras, apesar de viabilizar apenas 1h30 por dia de conteúdo produzido por aqui, num total de 350 horas por ano. Glamurama encontrou os cantores Emicida e Fiuk na festa de lançamento dessa nova fase da emissora, nessa terça-feira, e quis saber mais sobre o tema: afinal, o gringo vai engolir o nacional?

“Espero que eles continuem voltados para o mercado nacional, fico ansioso para esse tipo de coisa aconteça porque a gente tem uma cena muito rica e muitas vezes isso não acontece”, disse Emicida. Para ele, a televisão brasileira tem cada vez menos espaço para a música. “Tem muito sensacionalismo, muita polêmica, fofoca e a gente não se foca no principal que é a distribuição de cultura. Torço para que a MTV seja uma luz para esse caminho aí.”

Fiuk, que comandará o programa diário “Coletivation”, às 21h30, defendeu que a antiga MTV não estava cumprindo seu papel: falar de música. “Estou apostando minha vida nesse projeto”, disse ele, que está feliz da vida, já que o convite para apresentar a atração calhou com um projeto para a TV que ele criou há um ano. O cantor, que vai levar o pai Fabio Jr. para ser entrevistado em seu programa, no entanto, gosta da ideia de ter bastante conteúdo internacional na grade. “Tomara que a partir de agora os artistas internacionais comecem a vir mais para a nossa MTV. Obrigado Viacom!”, brincou ele, que continuou: “Sou fã do internacional, eles sabem fazer música bem pra caramba. É incontestável! Mas enquanto ao nacional, vai ter todo dia”.