03.03.2019  /  12:12

Na Pipoca do Saulo cadeirantes podem curtir a folia sob o cuidado dos próprios companheiros de bloco

Saulo || Créditos: Divulgação

Quando a voz de Saulo ecoa na avenida, seja no Campo Grande ou na Barra, foliões de todas as raças, religiões e ideologias se misturam formando um tapete multicolorido e democrático. No desfile deste sábado, no Circuito Osmar, em Salvador, não foi diferente. Uma legião de fãs atravessou a passarela Nelson Maleiro cantando em uma só voz o sucesso “Raiz de todo bem”. Uma das coisas que deixa a passagem do trio tão especial é a inclusão: até cadeirantes se misturam na multidão e são “protegidos” pelos companheiros de bloco.

De braços abertos e vestido com uma mortalha amarela com desenho de um coração alado nas costas, Saulo agradeceu por mais um ano no comando do trio sem cordas. “Cada vez é uma emoção maior quando a gente passa por aqui. O sentimento é de gratidão”, celebrou.