29.10.2019  /  17:36

Murilo Benício volta às novelas em papel de empresário de 50 anos, rico e infiel, que larga tudo por um grande amor

Murilo Benício, o Raull de Amor de Mãe || Créditos: TVGlobo/Estevam Avellar

Murilo Benício está de volta ao horário nobre da Globo. E os telespectadores vão poder curtir o ator em dois momentos diferentes na emissora: no ‘Vale a Pena Ver de Novo’ como Tufão de “Avenida Brasil” e, a partir de novembro, como Raul, em “Amor de Mãe”. Seu novo personagem é um empresário bem-sucedido casado com Lídia (Malu Galli). Na trama, o relacionamento deles já está bem degastado e ele tem uma amante, Estela (Letícia Lima).

Só que ele vai encontrar o amor verdadeiro ao conhecer Érica (Nanda Costa), que é maquiadora particular de Lídia. O interesse é recíproco, mas Érica deixa bem claro que não se envolve com homem casado. Surpreso com a atitude dela, Raul vai se separar e assumir o relacionamento com a filha de Lurdes (Regina Casé). Mas, nem tudo são flores, e o casal terá que enfrentar não só a fúria de Lídia, como também de Estela. Murilo respondeu duas perguntinhas sobre o novo desafio na TV. Dá uma conferida!

Como você define o Raul e como é a relação dele com a mulher, Lídia?
O Raul é um cara que aos 50 anos conquistou tudo na vida. E está numa espécie de transição espiritual, refletindo o que vale e o que não vale na vida. É uma pessoa com uma alma muito simples, é um cara bom caráter, de bom coração e legal com as pessoas.  Acredito que quando o Raul casou com Lídia ele era uma outra pessoa, completamente diferente do que ele é hoje. Imagino que eles tiveram um casamento de verdade, mas também acho que o sobrenome dela foi importante na construção da carreira dele. Eles estão juntos há mais de 20 anos, têm um filho e foram felizes. Mas no início da trama nenhum dos dois está satisfeito e estão prestes a se separar.

Qual você acredita ser o principal conflito de Raul na história?
O grande conflito dele vai ser lidar com os imprevistos que a vida oferece. Acredito que há a vida que a gente imagina e a vida que acontece pra gente. Não temos como domar esses acontecimentos. E é esse o dilema do Raul.