26.02.2017  /  13:36

Modernidade e tradição caminharam juntas no Baile do Copa. Vem!

cine copa
Enzo Celulari e Claudia Raia, Dudu Bertholini, Sabrina Sato, Yasmin Brunet, Carol Sampaio e Glória Maria no Baile do Copa || Créditos: Paulo Freitas/Juliana Rezende

Noite de gala no Carnaval nesse sábado com o Baile do Copa. Tradição que a partir de agora quer atingir o novo, absorver o frescor dos veteranos e extrair toda aquela animação de quem pisa na festa pela primeira vez. A opulência e todo o rigor da noite já começa no convite: Black Tie / longo ou fantasia. E nos salões do hotel não faltou criatividade. A entrada dos convidados foi acompanhada de perto pela multidão atenta aos famosos e a vibração maior se deu quando Sabrina Sato riscou o red carpet. Em português claro, não teve para ninguém. Carismática, Sabrina não poupou simpatia e atendeu aos pedidos de fotos, selfies e o que mais estivesse à disposição. Afinal, ela era a rainha do baile que neste ano teve como tema Gueixas. Seu par, Duda Nagle, assistiu de camarote à musa, dando os comandos da noite. O look de Sabrina assinado por Henrique Filho e styling de Yan Acioli, deu o que falar, unindo a tradição ao contemporâneo, assim como é o Japão.

Ao entrar no hall principal, os convidados eram recebidos por gueixas que se curvavam dando as boas-vindas. Nas laterais, elementos clássicos do Japão como as luminárias de papel flutuando, as cerejeiras e até os origamis. Uma vez dentro do baile, era possível se transportar para o oriente com dragões no teto e uma ambientação repleta de detalhes. Glamurama teve um dos espaços mais concorridos da noite, montado em uma das varandas do Copa, bem de frente para o mar, um QG onde convidados especiais – com lista de Carol Sampaio – tinham livre acesso com sofás confortáveis para aquele merecido descanso e um bar exclusivo – deu samba e quem passou por lá não queria mais sair. Foi o caso de Patrícia Brandão; Glória Maria, uma das mais animadas da noite; Amir e Riva Slama; Fernando Torquato; Claudio Gomes; Narcisa Tamborindeguy, considerada por muitos a “alma” do evento, e Luma Costa.

Luiza e Yasmin Brunet flanavam de um lado, Claudia Raia do outro, na companhia de seu filho mais velho Enzo Celulari. Juntas, deram o tom na noite, que começou às 22h e só teve fim quando os primeiros raios de sol do domingo deram as caras. No palco externo, na varanda, o DJ Papagaio colocou todo mundo para dançar. A animação era tanta, que vez ou outra um sapato era perdido e até a estribeiras. A noite de excessos se confirmava com o volume de convidados, mais de mil, que petiscavam nas três mesas temáticas criadas para o jantar. A de comida japonesa, obviamente, foi a mais procurada. Primeiro, por apresentar sugestões leves e segundo pela praticidade: era só destacar seu hashi e pronto, cada um por si. Sushis e sashimis variados, torres de camarão, ostras frescas, queijos, massas e uma seleção de sobremesas que passearam do macarron à torta de pistache. A fachada e lateral do hotel foram “envelopadas” com imagens gráficas e o cantor Rodrigo Lampreia deixou a noite ainda mais dançante, cantando clássicos e animando a plateia que por todos os cantos arrastava sotaques diferentes. Presença sentida de vários casais e famílias gringas – impecavelmente produzidas – para curtir com muito luxo e diversão um dos feriados mais aguardados do Brasil.

Enquanto a área externa fervia, o interior do hotel, mais precisamente o Golden Room, como é conhecido o salão principal, ostentava uma decoração luxuosa, com direito a dragão em tamanho real pendurado no teto, arranjos orientais com leques e afins nas mesas e banda com orquestra sinfônica montada para acompanhar simultaneamente as muitas marchinhas de carnaval. E como o tema mirava o outro lado do mundo, já era de se esperar uma profusão de quimonos de todos os tipos, tamanhos, padronagens e cores, envelopando homens e mulheres e deixando todas as áreas comuns ainda mais temáticas. Com calor e animação nas alturas, a noite do sábado deixa claro que toda e qualquer fantasia tem sim um pé na realidade e que mudar faz bem. Afinal, quem faz a festa é o público e desta vez a empolgação falou mais alto, mostrando que a turma jovem e descolada que começa a dar as caras no baile está disposta a manter a tradição firme e forte. Ainda bem! (Por Matheus Evangelista e Paula Barros)

Abaixo Glamurama mostra quem fez a edição 2017 do Baile do Copa alçar voo. Só seguir a seta!