14.11.2014  /  11:58

Mercado de arte cresce e Christie’s e da Sotheby’s batem recorde de lucro

Obra à venda na Christie

Enquanto analistas financeiros do mundo inteiro esquentam a cabeça com os preços do petróleo e os altos e baixos da bolsa valores, o mercado de arte continua crescendo a passos largos. A prova disso é que as vendas conjuntas da Christie’s e da Sotheby’s na semana passada totalizaram US$ 1,78 bilhão, ou R$ 4,65 bilhões, um valor recorde para um período tão curto.

A pièce de résistance foi uma escultura de Alberto Giacometti, comprada por US$ 100,97 milhões – R$ 264 milhões, supostamente pelo bilionário Steve Cohen, que não confirmou e nem negou as reportagens que dão conta de que ele arrematou a peça.

O mercado de artes, por sinal, está totalmente “financializado”. Ou seja: obras de artes assinadas por nomes famosos se transformaram em verdadeiras commodities, trocando de mãos de acordo com a performance de seus respectivos autores nos leilões mais disputados. (por Anderson Antunes)