17.08.2016  /  12:40

Medalhistas de ouro comentam poder da vaia e do “vai morrer”

premio-tamanho2
Luciano Huck entre os medalhistas Robson Conceição e Thiago Braz || Créditos: AgNews

Glamurama foi até a Casa do Time Brasil, na Barra da Tijuca, na noite dessa terça-feira, bater um papo com Thiago Braz e Robson Conceição, medalhistas de ouro no salto com vara e boxe, respectivamente. Claro que a gente perguntou para eles sobre a polêmica das vaias da torcida brasileira para nossos adversários nos estádios. Na final de Robson, seu oponente, o francês Sofiane Oumiha, ganhou até gritos de “uh, uh, vai morrer”. “O brasileiro é assim, e isso trouxe mais incentivo e motivação pra mim”, respondeu o lutador.

O também francês Renauld Lavillenie, que perdeu para Thiago, foi longe demais logo após a derrota. “Em 1936 [Olimpíadas de Berlim, durante o regime nazista], o público estava contra Jesse Owens [atleta negro]. Não víamos isso desde então. Não fiz nada para os brasileiros.” Renauld declarou que “as vaias foram o único problema”. “Nós costumamos ter ‘fair play.’” O que Thiago tem a dizer sobre isso? “Não achei legal as vaias, não é legal para o esporte, mas entendo o povo brasileiro, que estava torcendo por mim. Não tem como bloquear. Atrapalhou ele, sim, com certeza, mas ajudou a trazer a vitória para o Brasil, o que é mais importante.” Sobre ter aumentado o sarrafo… “É uma estratégia para desconfigurar o psicológico do adversário”. Que bom que deu certo! Colhendo os louros, Thiago contou que só teve uma hora e meia de sono desde a conquista – na última segunda-feira – até nossa conversa.

Todos os dois medalhistas de ouro aproveitaram os holofotes para chamar a atenção para a necessidade de investimento na formação dos atletas. “Quero que a emoção que eu senti lá dentro do ringue todos tenham a oportunidade de sentir. Na Bahia [terra dele], tem muitos talentos sem oportunidade”, disse Robson. “Minha infância foi humilde, mas minha mãe não deixou faltar o pão de cada dia. Fiz uma promessa: presentear minha filha, que faz aniversário nesta sexta-feira, com a medalha. A diferença do Robson das Olimpíadas passadas para essas é que antes eu tinha isso como um sonho, e agora como meta. Foi uma honra poder representar meu povo.” Sobre ter comemorado antes do resultado final ser anunciado… “Ah, já sabia que estava levando vantagem ao longo da luta”. (por Michelle Licory)

premio-tamanho1
Thiago Braz e Robson Conceição || Créditos: AgNews