07.10.2020  /  13:19

Mastologista do IBCC responde as principais perguntas e dúvidas sobre câncer de mama

Outubro Rosa / Crédito: Divulgação

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, atrás apenas do câncer de pele, correspondendo a 29% dos novos casos da doença ao ano. Por isso, o diagnóstico precoce é tão importante para a cura. E é com esse objetivo que nasceu a campanha Outubro Rosa, existente desde 1990 e que teve início nos Estados Unidos.

Pensando na importância desse mês, o IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer), ao lado da Dra. Vanessa Saliba Donatelli, mastologista do IBCC Oncologia, respondeu as principais perguntas sobre o assunto, desde a idade com maior prevalente para o surgimento do câncer, até os mitos que envolvem anticoncepcional. Confira!

– É verdade que o câncer de mama é o que mais mata mulheres? E quanto a incidência é fato que é o segundo mais comum no mundo?

Resposta: Sim, o câncer de mama é o que mais mata mulheres no Brasil e o segundo mais incidente, com 66 mil casos estimados para 2020, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), órgão  auxiliar do Ministério da Saúde para desenvolver e coordenar as ações integradas para a prevenção e o controle.

– Qual a idade com maior prevalente para o surgimento do câncer de mama? É comum aparecer após os 35 anos?

Resposta: A idade é um fator muito relevante para esse tipo de câncer. Na maioria das vezes é mais frequente entre os 50 e 60 anos. Não é muito comum antes dos 35 anos, mas nos últimos anos houve ocorrências em mulheres mais jovens com idade de 30 a 35 anos, especialmente, por fatores associados às mutações genéticas.

– Qual a taxa de mortalidade do câncer de mama?

Resposta: A taxa de mortalidade é ao redor de 13 mulheres a cada 100 mil.

 – Qual o índice de sucesso se descoberto em fases iniciais?

Resposta: A detecção precoce permite que o câncer de mama seja curável em cerca de 90% dos casos.

 – Percentual de aparecimento por hereditariedade? E de forma esporádica?

Resposta: Em 10% dos casos são por hereditariedade e em 90% casos esporádicos.

 – Existe alguma estatística relacionada ao percentual de mulheres com esse diagnóstico que precisarão de cirurgia?

Resposta: Na grande maioria dos casos de câncer de mama com estadiamento inicial, o tratamento de escolha é a cirurgia. Já em casos mais avançados com tumores acima de 3cm, de maneira geral, podemos optar por iniciar o tratamento com a quimioterapia e posteriormente com a cirurgia.

 – Quando feito exame clínico pelo especialista é possível detectar nódulos de quantos centímetros? E quando a própria pessoa faz o autoexame em média ela consegue detectar com quantos centímetros?

Resposta: Quando o exame das mamas e feito pelo médico é possível detectar nódulos a partir de 1cm. Já no autoexame, as mulheres conseguem detectar acima de 2cm.

 – O anticoncepcional usado por muito tempo pode potencializar o câncer de mama? Existe algum estudo com esse percentual?

Resposta: Não há nenhum estudo que comprove que o uso prolongado de anticoncepcional pode aumentar as chances de câncer de mama.