22.09.2018  /  9:00

Marjorie Estiano fora das novelas por anos? Por ela, pode ser que sim. À entrevista!

Marjorie Estiano || Créditos: Juliana Rezende

Marjorie Estiano pode estar sumida, mas não quer dizer que não esteja pegando pesado no batente. A atriz já gravou toda a segunda temporada de “Sob Pressão”, da Globo, que estreia em outubro, e, como se não bastasse, está neste momento em estúdio preparando a terceira! Isso que é antecedência…

Corrupção

“A trama da série na segunda temporada gira em torno de corrupção. A história no hospital [público] vai se desenvolver até o limite desse tema e pra isso os personagens vão ter seus dramas pessoais também. Vamos mostrar a emergência, os casos médicos, mas abordando essas mazela pelo lado da corrupção”.

Automutilação

E a personagem de Marjorie, a médica Carolina? “Essa questão dela com automutilação… É como qualquer outro tipo de doença, uma relação compulsiva com essa válvula de escape que ela descobriu e assumiu pra ela, então tem altos e baixos e vamos voltar a falar disso na série. Às vezes ela consegue ficar mais tempo distante daquilo, mas é um gráfico irregular… Ela e o Evandro [médico interpretado por Julio Andrade] vão ficar cada vez mais próximos, vão se casar, e esse suporte emocional vai ajuda-la, sempre ajuda a gente a conseguir manter o pé no chão. Mas ninguém vive só de felicidade. Então a gente vai encontrar alguns conflitos, esse fantasma da família dela, do pai dela, isso vai voltar. E a Carolina vai tentar lidar com as ferramentas que tem”.

Intimidade não é uma M

Entre novela e série, Marjorie fica com qual? “Posso avaliar bem… A novela lida muito mais com esse elemento do dia a dia, da resposta automática, e aquilo vai influenciando [a trajetória], você vai conhecendo seu personagem ao longo do trabalho, e isso promove tantos desafios diferentes, sabores de apreciação do trabalho diferentes… Série é um produto fechado, então você consegue ter um pouco mais de tempo para elaborar e lapidar tanto o roteiro quanto cada cena, direção, atuação, as escolhas. É tudo mais… Toda cena é muito importante e tem um significado maior dentro daquele episódio. Estou achando superinteressante poder trabalhar novamente com a mesma equipe e com a mesma personagem. Acho que isso vai… A impressão que tenho é que quando você está terminando uma novela é que está verdadeiramente entrosada com todo mundo… E aí acabou. Na série, quando termina a primeira temporada, você ainda vai ter uma outra oportunidade na segunda. Desfruto muito desse fato de ser a mesma equipe e a mesma personagem. Dá pra explorar com muito mais profundidade”.

Zona de conforto

Ok, mas a Globo tem séries muito longevas. E a televisão americana tem seriados médicos igualmente longevos. Você ficaria 10 anos fazendo o mesmo papel? “Ficaria. O futuro a Deus pertence, mas imaginando, projetando ser uma serie de 10 temporadas, posso dizer que tem margem pra muita história, pra muitos conflitos. Isso pode saturar um pouco algumas outras séries quando tudo fica dentro de uma só história. No nosso caso, a gente tem essa temática da saúde, que é infindável, um universo que realmente não esgota. Faria 10 temporadas, e faria lindamente”. (por Michelle Licory)