25.04.2014  /  8:26

Maria Rita fala sobre nova turnê e revela: “Não lembro da minha mãe”

 

Turnê de Maria Rita vai passar por Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro

“Coração a Batucar”, nova turnê de Maria Rita, tem início neste sábado, no Rio de Janeiro e pretende “fazer barulho”, nas palavras da própria cantora. Em conversa com o Glamurama, a filha de Elis Regina contou sobre seu novo disco, suas semelhanças com a mãe e a participação de seu filho no álbum.

– Por que retomar o samba nesse novo disco? Qual a sua relação com o gênero?

Eu não encaro como um retorno ao samba, simplesmente porque eu nunca estive fora dele. Sempre gostei de samba, sempre ouvi samba, sempre consumi samba. Nos meus primeiros discos flertei com o samba, até vir o “Samba Meu”. E após dois anos e meio de turnê continuei cantando sambas nos meus shows, sempre com muita paixão. A minha relação com o samba sempre foi muito genuína, muito espontânea.

– O que quer dizer para você a música “Mainha me Ensinou”? É uma homenagem à sua mãe?

Eu não compus a canção. Alguns amigos até me encaminham músicas para eu colocar letra, mas não tenho o dom da poesia, da rima. Gostaria muito te ter escrito essa música, porque ela é linda. Mas trata-se de uma composição de Xande de Pilares e Arlindo Cruz que chegou até mim pela editora ou gravadora, mas logo que ouvi a senti muito minha e retratar o momento que estou vivendo.

– O que você carrega de Elis Regina?

A característica mais próxima que identifico entre mim e minha mãe é a entrega irrestrita em cima do palco, essa necessidade de estar em cima do palco, de colocar para fora e agregar. No melhor estilo ‘quem canta seus males espanta’, e eu carrego muito isso também profissionalmente. No lado pessoal eu não sei dizer, pois não lembro da minha mãe. Mas meu pai, por exemplo, diz que sou muito parecida no jeito de mexer no cabelo, de andar e falar.

– Como foi a participação de seu filho Antônio [que toca  tamborim na faixa  “Vai, Meu Samba”]?

Muito natural, muito tranquila. Ele estava no estúdio acompanhando as gravações e quando eu vi já estava no meio da percussão, conversando com o André Siqueira, que ensinou alguns acordes para ele e depois mais alguma coisa. De repente, alguém disse “grava aí!”, e quando eu vi ele já estava fazendo parte daquilo. Foi muito bacana. O Antônio tem uma ligação com ritmos muito forte e ele ficou felicíssimo, os olhinhos brilhavam, ele está super orgulhoso.

*Em tempo: “Coração a Batucar” conta com shows  no mês de maio nas cidades de Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. [Por Denise Meira do Amaral]