Mara e Silvio Santos || Créditos: Reprodução

Mara Maravilha fala sobre a relação intensa com Silvio Santos e as polêmicas do chefe: “Ele não é hipócrita, é verdadeiro. O problema está no ouvido de quem escuta”

23.11.2019  /  9:00

Mara e Silvio Santos || Créditos: Reprodução

Ela é a morena que ousou se aventurar no universo infantil dominado pelas loiras no fim dos anos 1980. Até hoje não perde o sotaque e a simpatia de todo bom baiano, e é por isso que Mara Maravilha está dando o que falar, seja nas redes sociais ou ao lado de Silvio Santos, dono da emissora para a qual voltou e está causando mais do que nunca. Para a J.P, confessa pela primeira vez que mudaria a cor do olho para azul e gostaria de ter 1,80 de altura, mas loira… Jamais!

por Fernanda Grilo 

J.P: Um mico inesquecível?
MARA MARAVILHA: Silvio Santos me botou para fora do palco um mês depois que voltei para o programa dele. Ele chamou um segurança de 2 metros e gritava: “Tira, tira”, e eu corria no palco.

J.P: Como foi o retorno ao SBT?
MM: Um sonho realizado.

J.P: E o dia que conheceu o Silvio Santos?
MM: Quando falaram que eu ia conhecê-lo, fiquei sem dormir, dor de barriga. E guardo na memória o que ele disse logo no primeiro encontro: “Eu já sou seu fã”.

J.P: Silvio tem liberdade para falar o que quiser?
MM: Ele não é hipócrita, é verdadeiro. O problema está no ouvido de quem escuta.

J.P: Você aprova tudo o que ele faz?
MM: Ele está mais esperto do que a maioria. Não sou juíza de ninguém.

J.P: Dividir um programa com muita gente é…
MM: Estou fazendo a minha parte bem e recebendo meu salário. Está uma maravilha. Depois que você chega nos “50 tons de Mara”, fica mais tranquila. Mas não posso ser hipócrita e dizer que não queria um só meu.

J.P: Falar a verdade é…
MM: Ter coragem.

J.P: Como lida com os haters?
MM: Eu amo, eles são os meus maiores promoters.

J.P: É fã de séries?
MM: Menina, eu gosto de ler e ir ao cinema. Chego a ler três livros ao mesmo tempo.

J.P: O que não sai da sua cabeça?
MM: Algo que não gosto, mas estou fazendo: exercício. Quando você é novo não precisa e quando vai chegando nos “enta” [idade], aí não quer fazer.

J.P: O que ninguém sabe sobre você?
MM: Aquilo que nunca vão saber…

J.P: Talento escondido?
MM: Sou ótima corretora de imóveis, tenho até Creci.

J.P: O que uma mulher faz que um homem não faz?
MM: Mil coisas ao mesmo tempo e homem faz uma só. E tem o parto, né? Sei disso sem nunca ter parido.

J.P: Mania?
MM: Não durmo sem escovar o dente e lavar o pé. Não sei o motivo, mas chego a colocar o pé na pia. É uma maluquice isso.

J.P: Comida que faz quebrar a dieta?
MM: Feijão e chocolate.

J.P: O que não sabe cozinhar?
MM: Eu tento sempre, mas não sei cozinhar.

J.P: O mundo está chato?
MM: Não sei. Se o mundo fosse o mar, gostaria só de ficar contemplando, ouvindo e, no máximo botando o pezinho na beira.

J.P: Extravagância consumista?
MM: Queria muito um apartamento na praia e comprei. Agora, estou batalhando para vender.

J.P: Maior mentira que já contaram sobre você?
MM: Aí você me abraçou sem me apertar… Nem na lista telefônica caberia: é muita mentira.

J.P: Uma frase?
MM: “Viver é uma arte, ser criança é a melhor parte.”

J.P: Se pudesse mudar alguma coisa em você, o que seria?
MM: Teria 1,80 e olhos azuis, mas sempre morena, claro. Já internamente tem muita coisa, a reforma é diária.

J.P: Quem gostaria de ser por um dia?
MM: A boneca Emília, de Monteiro Lobato, Ruth Rocha ou Tatá Werneck. Mas sou feliz em ser a Mara.

J.P: Xuxa ou Angélica?
MM: Eliana.

J.P: Como gostaria de morrer?
MM: Dormindo.