22.08.2014  /  8:04

Mansão que foi de Edemar Cid Ferreira vira cenário de minissérie da Globo

Detalhe da mansão de 4 mil metros quadrados

A casa que pertenceu ao ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos, será cenário da minissérie que Fernando Meirelles está produzindo para a TV Globo, “Felizes para Sempre”, que deve estrear em janeiro de 2015. Com 4 mil metros quadrados, projetada por Ruy Ohtake, a mansão no Morumbi e todas as obras de arte – cerca de 900 – dentro dela fazem parte da massa falida do banco. Entre as preciosidades, trabalhos de Frank Stella, Portinari, John Chamberlain, Vik Muniz, Tunga e Di Cavalcanti, além de esculturas romanas, outra de Tomie Ohtake e mais uma da francesa Niki Saint Phalle, sem contar as peças de arte barroca. Está tudo intacto, cada coisa em seu lugar, como nos tempos áureos de Edemar e família. O pacote “casa mais obras de arte” já foi avaliado em mais de R$ 100 milhões.

A mansão abriga cerca de 900 obras de arte, entre pinturas, esculturas e fotografias

“Felizes para Sempre” é um remake de “Quem Ama não Mata” (1982) e se passa em Brasília, onde fica a casa na ficção, pertencente a uma restauradora de arte vivida por Maria Fernanda Cândido, casada com um empresário da construção civil. Também estão no elenco Paolla de Oliveira, Carol Abras, João Baldasserini e Martha Nowill. Além de Meirelles, Paulo Morelli, Luciano Moura e Rodrigo Meirelles, todos da O2, estão na equipe de direção. O roteiro é de Euclydes Marinho e é carregado de ciúme, crime e prostituição. As gravações, inclusive na casa, já começaram. Em homenagem à primeira versão, os personagens terão os nomes dos atores da época: Claudio (Marzo) e Marília (Pêra).

Maria Fernanda Cândido e Paolla Oliveira são dirigidas por Fernando Meirelles na minissérie “Felizes para Sempre”