16.08.2018  /  16:33

Maitê Proença fala de processo contra a Globo. “Estou muito velha para…” Vem saber!

Maitê Proença || Créditos: Reprodução

Maitê Proença foi demitida da Globo, depois de quase quatro décadas de casa. Foi na mesma leva de Carolina Ferraz, Malu Mader… A emissora tem optado cada vez mais por contratar artistas – mesmo desse calibre – apenas por “obra certa”, ou seja, especificamente para trabalhar em uma novela ou outro produto de dramaturgia. Depois do último capítulo, nada de salário ou outros compromissos, até que surja uma nova oportunidade temporária. Pois bem: depois que foi dispensada, a atriz relatou em um programa de TV situações de assédio que viveu na empresa ao longo dos anos. Por fim, entrou com um processo trabalhista contra a Globo. Encontramos com a atriz essa semana e aproveitamos para perguntar sobre o assunto. Vem ler! (por Michelle Licory)

Glamurama: Novidades de trabalho, Maitê?
Maitê Proença: “Estou em turnê pelo Brasil há uns oito meses com a peça ‘A Mulher de Bath’. Tem umas outras coisas que estão rolando…”

Glamurama: Novela?
Maitê Proença: “Novela não vou fazer agora”.

Glamurama: Mas pensa em voltar a fazer TV?
Maitê Proença: “Eu penso em tudo. Estou aberta [enfatiza bem o “aberta” e sorri]”.

Glamurama: Na Record?
Maitê Proença: “Depende. Se for bom, interessante…”

Glamurama: Na Globo, não mais?
Maitê Proença: “Não sei, pode ser”.

Glamurama: Não tem nenhum tipo de impedimento ou ressentimento que impeça voltar a fazer uma novela lá?
Maitê Proença: “Não. Agora não vou fazer, mas no futuro provavelmente”.

Glamurama: A gente leu sobre a questão da demissão [e o processo]…
Maitê Proença [ela interrompe para responder]: “A minha relação com a TV Globo é uma relação de 37 anos e não acho que é pra discutir na imprensa. Discuto a minha relação com a TV Globo”.

Glamurama: A gente só precisa saber que essa relação…
Maitê Proença: “Está sempre em aberto. Estou muito velha para fazer inimizades. Na verdade, a gente está sempre muito velho para fazer inimizades, mas quando é jovem não sabe disso. Só com a maturidade é que a gente se dá conta”.