Luiz Bolognesi, diretor do longa “A Última Floresta”, vencedor do Festival de Berlim, fala sobre a conquista: “Esse prêmio significa que o mundo está de olho”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
0
Filme brasileiro ganha prêmio em Berlim | Créditos: Divulgação

“A Última Floresta”, filme dirigido por Luiz Bolognesi, venceu o prêmio do público na mostra Panorama no 71º Festival de Berlim, nesse final de semana. Este ano, a mostra apresentou 16 longas-metragens, com apenas um representante brasileiro. De Berlim, onde foi acompanhar as sessões presenciais do filme, Luiz, que assina o roteiro do filme ao lado do xamã e líder político Yanomami Davi Kopenawa, comentou sobre a premiação: “É muito importante não só para nós que fizemos o filme, mas para o cinema brasileiro, e sobretudo para a imagem dos povos indígenas, dos povos Yanomami, que estão sob ataque nesse momento”, disse

A história premiada se passa em um território Yanomani, isolado na Amazônia, onde o xamã Davi Kopenawa Yanomani tenta manter vivos os espíritos da floresta e as tradições, enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade. Desta forma, os jovens ficam encantados com os bens trazidos pelos brancos; e Ehuana, que vê seu marido desaparecer, tenta entender o que aconteceu em seus sonhos.

Fabiano Gullane, que divide a produção com Caio Gullane e a Buriti Filmes, exaltou o cinema nacional: “São projetos com grande articulação internacional. É uma grande conquista para o nosso audiovisual em um momento de tanta tristeza no nosso país”.

A estreia do filme no Brasil está prevista ainda para este ano. Veja o trailer abaixo.