04.10.2017  /  15:18

Luisa Mell conta em que pé está o caso do resgate de 135 cães em Osasco. Indignação!

Luisa Mell || Créditos: Reprodução Instagram

Luisa Mell parou o Brasil na última sexta-feira com o resgate feito junto a um oficial da polícia no canil Mansão Sebastian, em Osasco. Cenas fortes do salvamento de cães das raças Pug, Lhasa Apso e Yorkshire em estados deploráveis foram divulgadas pela ativista no Stories de seu Instagram. O fato chocou a todos por conta da crueldade a que os pets eram sujeitados. Nesta quarta-feira, Dia de São Francisco de Assis, protetor dos bichos, também é comemorado o Dia Mundial dos Animais. E como Glamurama é total pró-direitos dos animais, conversou com Luisa para saber sobre a repercussão do resgate e a atual situação dos cãezinhos, é claro.

Entenda o caso
135 cães foram salvos e levados para o Instituto Luisa Mell – ONG fundada há 2 anos e meio, que atua principalmente no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. Desde então, seis já morreram e muitos correm risco de vida. “Montamos uma UTI no Instituto”, conta Luisa. “Estamos lutando por cada vida.”

Sofrimento
Ao descrever a situação, Luisa se emocionou: “Foi muito difícil lidar com todo esse sofrimento. Por mais que eu esteja acostumada, esse caso foi muito forte. Eram muitos animais. Foi duro, mas também muito emocionante ver que tanta gente se importa. Todo mundo emocionado e comentando o assunto.”

Invasão 
A ativista lamentou a dificuldade de acesso a canis denunciados – que são vários: “Dessa vez a gente conseguiu porque eu tinha um vídeo da mulher batendo no animal com um cabo de vassoura.” Com a prova material, conseguiu o aval de invasão.

Luisa Mell || Créditos: Reprodução Instagram

Infraestrutura
Para tratar adequadamente todos os cães, os cerca de 15 funcionários do Instituto Luisa Mell têm trabalhado dia e noite. Por conta disso, Luisa está à procura de mais dois veterinários e outros funcionários para reforçar a equipe do instituto, que fica em Ribeirão Pires e resgata, em média, 700 animais por ano. A ONG conta com clínica e centro cirúrgico, além de instalações para acolher cães e gatos.

Justiça
A briga de Luisa com a dona do canil invadido está só começando. “Por enquanto eu sou só fiel depositária dos animais. Não tenho a posse definitiva”, contou, preocupada. Ela e seus advogados estão reunindo laudos e devem entrar com uma liminar nos próximos dias para solicitar a posse dos animais. “Estou muito apreensiva porque não sei o que vai acontecer. A dona do canil vai responder na justiça por maus tratos mas, na prática, a minha experiência diz que [o caso] vai acabar em cestas básicas.”

Repercussão 
De sexta-feira para cá, Luisa Mell ganhou mais de 800 mil novos seguidores no Instagram, atingindo a marca de 1,4 milhões de usuários. Fora isso, mais de 8 mil e-mails, entre denúncias de maus-tratos a animais, pedidos de adoção e solicitações para visitar e ajudar a ONG. Famosos não param de contatar Luisa para aderir à causa, entre eles, Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank, Carol Dieckmann, Anitta, Yasmin Brunet e Fernanda Paes Leme. Em agradecimento ao apoio, a ativista e apresentadora vai batizar os cães com seus nomes.

Patrocínio 
“Até sexta-feira meu único patrocinador era uma marca de ração”, contou Luisa, emendando que nos últimos dias já recebeu ajuda de mais de 15 empresas que podem vir a ser futuros parceiros do instituto. Estamos na torcida! (Por Julia Moura)