16.01.2021  /  9:00

Luisa Matsushita, a ‘radical’ Lovefoxxx da banda Cansei de Ser Sexy, conta por que largou SP e foi pro mato: “Renascer aos 30 anos é desafiador”

Luisa Matsushita trocou a vida urbana por uma casinha autossuficiente de 12 m² em Garopaba || Créditos: Aruan Viola

por Luciana Franca para a Revista JP

A multiartista Luisa Matsushita, mais conhecida como Lovefoxxx da banda Cansei de Ser Sexy, conta à Revista J.P por que trocou a vida urbana por uma casinha autossuficiente de 12 m² em Garopaba.

“Com o Cansei de Ser Sexy, ficamos na estrada de 2004 a 2014 quase sem parar [depois de uma pausa, o grupo se apresentou em 2019 no Popload Festival]. As toalhas do camarim e do hotel, as garrafas de plástico, tudo o que eu consumia e deixava para trás ficava na minha memória como a cauda de um vestido que estava cada vez mais pesado. Em 2008, quando morava em Londres, passava as tardes de folga na [loja] Liberty’s, almoçava no estrelado The Square, minhas calcinhas eram Stella McCartney. Se naquela época eu pudesse me enxergar 10 anos depois, em um domingo, às 6h da manhã, coletando garrafa na praia em Florianópolis para fazer ‘tijolo de vidro’, ficaria aterrorizada com meu futuro. A mudança começou em 2014, quando estava tocando na Austrália e fiz inscrição no Earthship Biotecture Academy, programa de educação para construir uma casa sustentável com materiais recicláveis, nos Estados Unidos. No último dia do curso, tive uma crise de choro e percebi que não poderia voltar a viver do jeito que até então me serviu. Foi um choro de despedida. Novos começos são bonitos, cheios de possibilidades, mas renascer aos 30 anos é desafiador.”

Luisa Matsushita trocou a vida urbana por uma casinha autossuficiente de 12 m² em Garopaba || Créditos: Aruan Viola

“Neste caminho de mudanças, que começou há três anos, quase morri de solidão e apatia. Passei meses sozinha com meu gato, Fabinho, em Florianópolis, minha residência intermediária antes desta casa em Garopaba. Quase morri! Dormia às 19 h e acordava às 5h, estava com ódio de tudo e não sabia por quê. Estava com a faca e o queijo na mão para viver a vida dos meus sonhos, tinha vendido bem o meu apartamento em São Paulo, tinha dinheiro e tempo para achar o terreno perfeito e começar minha vida de construtora natural, de agrofloresteira, de permacultora. Mas não conhecia ninguém, não tinha ninguém para dividir, para ajudar. A ioga e o voluntariado me ajudaram a fazer amizades. Da vida urbana, sinto saudade de comprar com facilidade um pincel, das amigas, do humor das pessoas que moram em São Paulo, de certos restaurantes e de ver drag queen. Meu sonho é desenvolver um programa de educação que dê oportunidades para a comunidade LGBTQIA+, especialmente trans, fazer transição para uma vida em áreas rurais.”

Lovefoxxx nos tempos do CSS // Reprodução