14.10.2013  /  17:13

Luana Piovani, em papel que foi de Diane Keaton: “Frágil e submissa”

 
Luana Piovani vai voltar aos palcos em uma montagem de “Sonhos de um Sedutor”, de Woody Allen, sucesso da Broadway e do cinema, no início da década de 70, com o título original de “Play it again, Sam”. O papel da atriz é o mesmo interpretado por Diane Keaton e foi responsável por alavancar a carreira da estrela de Hollywood. Woody também está no elenco das versões americanas para o teatro e as telonas e interpretou um crítico de filmes que se comportava como apenas “um espectador da vida”, tinha acabado de ser abandonado – terminando seu casamento – e se apaixona pela mulher do amigo, personagem de Diane… E agora de Luana.
No texto, traços característicos do autor: a subversão dos finais felizes, a referência constante a analistas e neuroses, homenagens a clássicos do cinema [no caso, “Casablanca”] e a mulher proibida como objeto de desejo. Foi o produtor Miguel Colker que comprou os direitos e convidou Ernesto Piccolo para dirigir. Um novo talento, George Sauma ficou com o papel que foi de Woody. Heitor Martinez e Georgiana Góes completam o time escalado. Deborah Colker assina a “direção de movimento” e Rodrigo Penna, a trilha sonora da peça, que tem pré-estreia dia 24 no Teatro Ipanema, no Rio.
* “Já seria um presente dar vida a qualquer personagem de Woody Allen, mas Linda, além da honra de ter sido interpretada por Diane Keaton, me traz uma experiência totalmente nova à bagagem de atriz: é a primeira vez que levo ao palco o papel da mulher frágil, submissa e dependente do marido”, conta Luana.