10.05.2020  /  9:00

Londrino promete fazer uma tatuagem por dia durante isolamento social e já falta espaço no corpo. Entenda!

Chris Woodhead || Créitos: Reprodução

O tatuador londrino Chris Woodhead encontrou uma maneira de lidar com a pandemia de coronavírus: uma nova tatuagem em seu próprio corpo para todos os dias do confinamento. Mas, Chris, não imaginou que a quarentena duraria tanto tempo e já falta espaço em seu corpo para novos desenhos. Glamuram explica: ele faz tatuagens regularmente desde os 18 anos, há 15 anos, e antes dessa promessa já ostentava mais de 1000 desenhos espalhados pelo corpo. Agora, com os dias em casa, ele já acrescentou mais de 40 e continua contando…

Tudo isso começou quando o estúdio de tatuagem em Londres, onde trabalha como artista, fechou e ele se isolou com sua esposa grávida, Ema. Aí decidiu adicionar uma nova tatuagem por dia: “Eu me vi andando sem saber o que fazer e comendo toda a comida dos armários”, disse Chris à “BBC”. “Então, a ideia de me tatuar todos os dias era para me dar um pouco de direção. Sem estrutura, as pessoas estão completamente perdidas”.

Todas as tardes, entre as 14h e as 16h, Chris faz desenhos inspirados em sua situação atual: “Acho a tatuagem terapêutica de qualquer maneira. No momento, estou desenhando o que estou pensando”, diz ele. “E não há muito mais na minha cabeça no momento além dessa crise monumental.” E seu corpo já ganhou mensagens também. Na planta do pé esquerdo, Chris escreveu: “Quando vai terminar ?” Na parte inferior da perna direita, ele registrou uma partícula esférica de coronavírus, além de homenagear ao Serviço Nacional de Saúde. O governo local ainda não decretou o fim da quarentena.

View this post on Instagram

Self-isolation tattoo no.45

A post shared by Chris Woodhead (@adverse.camber) on