18.02.2019  /  10:49

Loft onde Harvey Weinstein supostamente fazia o “teste do sofá” é vendido por mais de R$ 22 mi

Harvey Weinstein e seu antigo loft no TriBeCa: o sofã foi “confiscado” || Créditos: Getty Images/Reprodução

O loft que Harvey Weinstein usava como escritório, localizado na região do TriBeCa, em Nova York, finalmente foi vendido na semana passada por US$ 6 milhões (R$ 22,2 milhões). Com aproximadamente 560 metros quadrados de área total, o imóvel tinha sido listado nos classificados pelo produtor de Hollywood logo depois do estouro de um escândalo sexual que resultou em um julgamento ainda em curso e que poderá culminar com a condenação dele a 20 anos atrás das grades. Praticamente falido, o ex-todo-poderoso da terra do cinema já se desfez de vários outros bens a fim de levantar dinheiro para pagar seus advogados.

Era no endereço comercial fincado no número 375 da Greenwich Street, no coração da Big Apple, que Weinstein recebia gente de todo tipo para tratar de assuntos de trabalho, inclusive muitas das atrizes que agora o acuso de assédio e até de abuso sexual. Nele, o cofundador da The Weinstein Company junto com o irmão, Bob Weinstein, era vizinho de Robert De Niro, cujo restaurante Tribeca Grill fica no mesmo prédio.

Consta que um sofá, que fazia parte da decoração do loft e chegou a ser citado em várias das denúncias de crimes feitas contra Weinstein de outubro de 2017 pra cá, foi retirado por agentes do FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos, antes do negócio ser fechado. Ah, falando nisso, o comprador em questão foi o escritório de investimentos imobiliários Cape Advisors, o mesmo que comprou o Mondrian Hotel de NY por mais de US$ 200 milhões (R$ 740,8 milhões), há cinco anos. (Por Anderson Antunes)