28.03.2020  /  9:00

Lewis Hamilton compra briga com o icônico artista plástico britânico David Hockney. O motivo?

Hamilton e Hockney em pé de guerra // Reprodução

Lewis Hamilton está passando por um problema inusitado. O piloto está aproveitando a suspensão da temporada 2020 de Fórmula 1, por causa da pandemia do coronavírus, para reformar sua luxuosa residência em Los Angeles. Até aí nada demais. Porém, comprou uma briga daquelas com seu vizinho, que vem a ser ninguém menos que David Hockney.

O icônico artista plástico britânico de 82 anos garante que a reforma está interferindo na luz de sua propriedade, avaliada em 29 milhões de reais e que também é usada como ateliê, e exige que as obras no château de Hamilton sejam interrompidas o quanto antes. David disse ainda que a falta da iluminação natural irá afetar seu trabalho de forma definitiva.

O quiprocó foi noticiado pela imprensa britânica, que também comentou que a reforma na casa de 108 milhões de reais do hexacampeão mundial de Fórmula 1 se trata de um enorme terraço e uma pérgola em seu quintal.

Sem acordo inicial entre as partes, Hockney apelou para o conselho local do bairro: “Como proprietário do edifício e artista que depende de luz natural do dia, a minha condição de trabalho e de vida seriam seriamente perturbadas pelo plano de reforma. A luz é uma condição essencial da arte”. Os outros moradores não viram problemas e autorizaram Hamilton a dar sequência na obra.

Lembrando que David Hockney se tornou o artista vivo mais valioso do mundo quando a tela “Portrait of an Artist” foi arrematada em leilão na Christie’s, em Nova York, por US$ 90,3 milhões, em 2018. Ano passado ele perdeu o posto para Jeff Koons.

“Portrait of an Artist” de David Hockney // Reprodução