20.05.2017  /  8:09

Leda Catunda assina curadoria de exposição que questiona o feio e o belo

Obras de Mano Penalva e Erika Verzutti || Créditos: Divulgação
Obras de Mano Penalva e Erika Verzutti || Créditos: Divulgação

O que é belo? O que é feio? São essas as duas perguntas que norteiam a artista Leda Catunda que assina a curadoria da coletiva “A Bela e a Fera”, com abertura no dia 6 de junho, na Central Galeria, em São Paulo. A exposição revela como os artistas, partindo de sua visão subjetiva, lidam com os atuais conceitos do belo e do feio através de pinturas, fotografias, desenhos, objetos e vídeo. Dividida em duas salas – uma com trabalhos caracterizados como belos e a outra com trabalhos caracterizados como feios – a exposição apresenta obras de Bruno Dunley, Edgar de Souza, Erika Verzutti, Luiz Roque, Mano Penalva, Paulo Monteiro, Pedro França e Sofia Borges.

A ideia de beleza poucas vezes na história foi tão chacoalhada e tão velozmente transformada como agora. A enorme proliferação de imagens promovida pela internet e mídias sociais transformou todos em fotógrafos e repórteres de nossa própria jornada. Assim sendo, torna-se impossível a tentativa de determinar o que é de bom gosto, fazendo com que muitas coisas interessantes se tornem belas e muitas coisas belas se tornaram estranhas em sua pretensão de universalidade.

“A Bela e a Fera” com curadoria de Leda Catunda
De 7 de junho a 5 de agosto
Central Galeria – Vila Madalena / Rua Mourato Coelho, 751
www.centralgaleria.com