22.06.2021  /  14:41

Kim Kardashian embolsou mais de R$ 4 milhões para promover moeda digital em suas redes sociais

A reality star e seus posts sobre a EthereumMax: aumento de 50% em uma semana
A reality star e seus posts sobre a EthereumMax: aumento de 50% em uma semana || Créditos: Reprodução

O bitcoin registrou, nessa terça-feira, uma queda tão forte de valor que fez todos os seus ganhos de janeiro pra cá – e que já andavam bem menos brilhosos do que em outras épocas – irem para o ralo. Até recentemente avaliada em US$ 35 mil (R$ 174,8 mil), a unidade da criptomoeda (BTC) agora vale menos de US$ 30 mil (R$ 149,8 mil) e segue caindo, sobretudo em razão do anúncio feito pela China, na segunda-feira, de que sua comercialização por lá passará a ser ainda mais restringida do que é atualmente.

Mas isso não tem impedido alguns investidores de BTCs e outras criptos de recorrerem a um velho truque comercial para atrair o interesse de outros dispostos a embarcarem com eles nessa nau que, para algumas velhas raposas dos mercados, ninguém sabe ao certo ainda aonde vai aportar: a contratação de celebridades para promovê-las.

Kim Kardashian, por exemplo, recentemente embolsou US$ 858 mil (R$ 4,28 milhões) para fazer um post em seu Stories no Instagram no qual incentivou seus mais de 230 milhões de seguidores na rede social a comprarem EthereumMax, uma nova moeda digital que, em parte graças à citação feita pela reality star, se valorizou mais de 50% nos últimos sete dias.

Outros famosos, principalmente dos Estados Unidos e de países asiáticos, também estão cobrando para promover moedas digitais aos seus followers, em geral obtendo resultados imediatos mas talvez cedo demais para serem classificados como duradouros, algo que o povo que mexe com finanças gosta muito de saber. Fica a pergunta no ar: será que Kardashian e companhia conseguirão salvar o bitcoin de continuar perdendo seu hype? (Por Anderson Antunes)