01.06.2020  /  9:22

Kate Middleton e William vão processar revista que comparou a ‘magreza’ da duquesa com a de Lady Di

Kate Middleton e William || Créditos: Reprodução

Revista favorita dos “royals” e de toda a aristocracia britânica, a “Tatler” agora está na mira de Kate Middleton e do príncipe William. O motivo da desavença tem a ver com a última edição da publicação, que tem na capa uma foto da duquesa de Cambridge sob a manchete elogiosa “Catarina, A Grande” e no recheio traz o que classifica como informações exclusivas sobre a nova realidade dela pós-Megxit. Como Glamurama contou na semana passada, comenta-se no Reino Unido que a saída de Meghan Markle e do príncipe Harry da realeza teria deixado Middleton “exausta” e “presa na própria realidade”, uma vez que ela acabou assumindo parte dos trabalhos que os dois faziam quando eram do primeiro escalão da monarquia mais famosa do mundo.

Mas o que deixou os Cambridges particularmente irritados foram as comparações feitas por repórteres da “Tatler” entre o peso atual de Middleton e o da princesa Diana, mãe de William, quando a falecida ex-mulher do príncipe Charles viveu um de seus piores momentos como uma Windsor. A revista chega a sugerir que a futura rainha consorte da Inglaterra está “perigosamente magra” e poderia estar sofrendo de algum distúrbio de imagem corporal tal como Lady Di, que no começo dos anos 1990 foi diagnosticada com anorexia nervosa. “Isso é extremamente cruel e machista”, disse um representante do Palácio de Kensington, a residência oficial deles, em nota.

Em razão do que consideram ter sido um ataque de “body shaming”, Middleton e Wills decidiram processar a “Tatler” por calúnia e difamação, lembrando que são raras as vezes em que membros da família real britânica se voltam contra a imprensa dessa forma. Uma da mais recentes foi justamente protagonizada pelo próprio casal, que em 2012 acionou judicialmente a revista francesa “Closer” depois que esta publicou fotos da mãe dos príncipes George, Charlotte e Louis fazendo topless no sul da França (Middleton venceu a batalha judicial em 2017). Editor-chefe da “Tatler”, Richard Dennen deu a entender que está pronto para confrontá-los nos tribunais e, também em nota, garantiu que assina embaixo de tudo que foi publicado por sua equipe. (Por Anderson Antunes)

A capa da “Tatler” que gerou a controvérsia || Créditos: Reprodução