03.06.2015  /  11:35

Juliana Paes tirando onda com Banderas? Essa e outras, aqui!

Juliana Paes || Créditos: Agnews
Juliana Paes || Créditos: Agnews

Por Michelle Licory

Glamurama bateu um papo com Juliana Paes essa terça-feira no Rio, em uma festa em homenagem a Antonio Banderas – que veio lançar o perfume King of Seduction, feito pela mesma empresa que produz as fragrâncias licenciadas pela atriz. O evento foi em uma supercasa no Joá, com vista para o mar, comidinhas do Zazá Bistrô e várias misturinhas diferentes de caipirinha – mas o astro de Hollywood ficou na tradicional de limão mesmo. “Ele é um gato, e bem easygoing. Todo mundo gosta dele. É uma honra saber que meu perfume vende tão bem quanto o do Banderas”, disse Ju. Tirou onda… “Tem tudo a ver com a identificação do público. Ninguém compra fragrância de quem não gosta.”

“Dois Irmãos”

“Acabei sábado as gravações. Finalmente rodamos a última cena de ‘Dois Irmãos’. Estou feliz e curiosa porque ninguém sabe quando a minissérie vai ao ar. Mas é só em 2016. Pra mim, esse trabalho foi como fazer cinema. É a primeira vez que faço na TV uma obra assim, fechada, totalmente pronta antes de começar a ser exibida. Isso deixa a gente roendo as unhas, sem ter noção de como será a resposta do público. Mas foi uma energia de criação contagiante. E eles [a cúpula da emissora] sabe o que fazem…”

No caminho, uma editora de moda

“Nesta quarta tenho uma reunião com o diretor Luiz Henrique Dias para começar a definir os detalhes da minha personagem na próxima novela das sete, que vai substituir ‘I Love Paraisópolis’. Já sei que ela não é flor que se cheire, uma mulher que não mede esforços para ser bem sucedida. Não é uma megera, mas tem um quê de vilã. O nome dela é Isabela, uma editora de revista de moda, que se posiciona no mercado de uma maneira diferente. Faz de tudo para conseguir a conta de tal patrocinador, por exemplo. Estou louca para saber com é ser malvadinha. Não tenho a menor ideia de como é fazer um personagem pelo qual as pessoas não vão torcer. Ela faz escolhas escusas, mas acho que as pessoas podem se identificar por ser uma mulher de verdade, ambiciosa. Amei poder explorar mais esse lado fashion… Gosto, mas não sou muito familiarizada. Tenho muito para aprender.”

Triângulo… E com Fábio Assunção

“A Isabela forma um triângulo amoroso com o personagem que deve ser do Fabio Assunção e a mocinha, Elisa, papel da Marina Ruy Barbosa. A história é inspirada em ‘My Fair Lady’, então ela é pobre , mal ajambrada, simples, e vai ser descoberta por um olheiro. Claro que estou preocupada com essa questão de repetição de elenco, por conta da indefinição de data de ‘Dois Irmãos’. Sei que hoje, com internet e redes sociais, as pessoas se identificam com a Juliana Paes, e não apenas com o papel da TV, mas mesmo assim o personagem precisa ser respeitado. Melhor não ficar no ar ao mesmo tempo em duas produções… A Globo vai decidir isso. Mas a novela é sempre o carro chefe, então eles devem dar preferência pra ela.”