28.02.2014  /  12:08

Ju Alves, rainha de bateria: o melhor sapato para sambar e outras dicas

Juliana Alves, rainha de bateria da Unidos da Tijuca, preparou especialmente para o Glamurama um guia de como aproveitar o melhor do Carnaval do Rio, fugindo de típicas ciladas. Anota aí, glamurette:

* “O melhor sapato para sambar é um meia pata de salto alto fino. A meia pata amortece o impacto com o chão e diminui a sensação da altura para o peito do pé. O salto fino deixa os movimentos mais livres para os passos. O modelo não pode ter tiras muito estreitas, precisa vestir bem os ossos da frente do pé. Isso é para que o pé não deslize com a transpiração e você perca a estabilidade.”

* Mas se a intenção for apenas pular em algum bloco de rua… “Aí sapatilha ou tênis. Eu usaria uma sainha com short por baixo e adereços leves, para poder brincar. Nada que possa ficar caindo, que tenha que segurar na mão… Prefira acessórios que fiquem presos. Adoro blocos. Antes eu colocava um disfarce e ia. Não por não querer receber o carinho das pessoas, mas para poder aproveitar ao máximo. Desta vez, com os compromissos com a escola, não vou conseguir. Indico o Suvaco do Cristo, Cordão do Bola Preta e Bangalafumenga. O Rio revitalizou muito essa parte dos blocos. Você consegue curtir diferentes estilos em vários horários. Mas cuidado com os batedores de carteira, comuns em multidão [em qualquer lugar do mundo]. Leve apenas um documento e o dinheiro necessário para comprar comida e bebida com os ambulantes. E mantenha tudo junto ao corpo. Nada de bolsa.”

* Vai desfilar? Vem saber o que Juliana come no dia de cruzar a Marquês de Sapucaí para manter o pique. “Massa integral! E evito alimentos gordurosos, que dão uma sensação de cansaço. Precisamos ter disposição e energia, e se manter sempre hidratado é muito importante também. Bebo muita água. ”

* A atriz adiantou pra gente um pouquinho sobre sua fantasia: “Vais ser poderosa, com muitas pedras, e nas cores da escola. O costeiro eu considero bem leve. Pedi uma fantasia que me permita brincar na Avenida.” (Por Michelle Licory)