01.04.2019  /  16:35

Jovem, gay e… presidente dos EUA!? Conheça Pete Buttigieg, o americano de 37 anos que quer substituir Trump na Casa Branca

Pete Buttigieg || Créditos: Wikimedia Commons

Já ouviu falar de Pete Buttigieg? Pois então se prepare, porque o americano de apenas 37 anos está perto de se tornar um dos políticos mais comentados do mundo. Atual prefeito de South Bend, uma cidade com pouco mais de 100 mil habitantes no estado americano de Indiana, Buttigieg é desde já um dos membros do Partido Democrata mais bem cotados para concorrerem à presidência dos Estados Unidos em 2020, algo que ele mesmo já deixou claro estar pensando com carinho. Na semana passada, por exemplo, o jovem administrador público com pinta de galã hollywoodiano foi o mais citado de sua categoria nos talk shows de fim de noite da TV americana, um dos melhores termômetros para se saber o que está ou não em alta no cenário político dos EUA, e sempre de forma positiva.

Para Trevor Noah, que apresenta o influente “The Daily Show”, Buttigieg é “perfeito demais para ser verdade”: tenente de reserva da Marinha americana, ele tem um nome fofo (Pete é diminutivo de Peter, e soa como “Pedrinho” para os nativos da língua inglesa), defende um sistema de saúde universal bancado pelo governo, é a favor dos sindicatos trabalhistas, de maior controle na venda de armas e de regras mais rígidas no que diz respeito à proteção do meio ambiente, sendo todas essas algumas das bandeiras favoritas dos progressistas americanos. Trata-se, portanto, de um personagem ideal para fazer frente aos conservadores que apoiam o presidente e candidato à reeleição Donald Trump, por enquanto o favorito para vencer o pleito presidencial do ano que vem.

E isso sem falar que o astro em ascensão é a favor da legalização da maconha, que é cada vez mais vista como uma commodity, e – a cereja do bolo – também é gay assumido, casado desde meados do ano passado com o professor Chasten Glezman. Caso ganhe a indicação dos democratas para entrar na próxima corrida pela Casa Branca, o que será definido em julho e é visto como uma hipótese bastante plausível por muitos analistas diante dos milhões de dólares já arrecadados para tal, Buttigieg entrará para a história como o primeiro postulante de um grande partido ao cargo de homem mais poderoso do mundo abertamente homossexual e com chances reais de levar a melhor. Já imaginou o bafafá? (Por Anderson Antunes)