19.04.2021  /  11:20

Jornalista canadense oferece R$ 39 milhões para que príncipe Andrew se submeta a um detector de mentiras

Andrew e Epstein e, nos detalhes, Halperin (imagem abaixo) e seu novo livro (imagem acima)
Andrew e Epstein e, nos detalhes, Halperin (imagem abaixo) e seu novo livro (imagem acima) || Créditos: Reprodução

O jornalista investigativo canadense Ian Halperin, aquele que fez um documentário a partir do divórcio de Angelina Jolie e Brad Pitt, resolveu colocar lenha na fogueira de um dos maiores problemas da família real do Reino Unido no momento: o envolvimento do príncipe Andrew no escândalo Jeffrey Epstein. É que nesse fim de semana, Halperin ofereceu publicamente ao filho favorito de Elizabeth II a quantia de £ 5 milhões (R$ 39 milhões) para que ele se submeta de livre e espontânea vontade a um teste de polígrafo, o popular detector de mentiras, a fim de esclarecer toda essa história de uma vez por todas.

Andrew, claro, ainda não se pronunciou sobre a oferta, e provavelmente nem o fará. Acusado de ter participado de algumas das orgias que Epstein, que cometeu suicídio na cadeia em 2019, organizava em suas propriedades mundo afora, todas sempre repletas de garotas menores de idade, o “royal” acabou “conhecendo melhor” ao menos uma delas, Virginia Roberts Giuffre.

Nos autos do processo em que o falecido multimilionário se tornou réu por crimes sexuais, ela afirma ter sido contratada por Epstein quando tinha 17 anos exclusivamente para atender as necessidades sexuais do pai das princesas Eugenie e Beatrice – que nega veementemente essa suposta versão dos fatos. O caso, aliás, é detalhado no novo livro de Halperin – “Controversy: Sex, Lies, Dirty Money” (“Controvérsia: Sexo, Mentiras, Dinheiro Sujo”, em tradução livre), que trata justamente daquilo que alguns ricos e poderosos fazem quando não tem ninguém olhando… (Por Anderson Antunes)