14.10.2017  /  8:05

Marieta Severo e a “elite predatória”: “Pra que tanta casa em Angra? Depois vai tudo a leilão”

Marieta Severo || Créditos: TV Globo

Marieta Severo é Sophia, muito, muito má em “O Outro Lado do Paraíso”, substituta de “A Força do Querer” na faixa das nove da Globo. “Ela é viúva de um fazendeiro de soja”. Já é bem rica, mas quer mais: cobiça as minas de esmeralda que ficam no Jalapão, nas terras do personagem de Lima Duarte, que não quer explorá-las. Para isso, deseja casar  a neta dele com seu filho, para manipular a nora de acordo com seus interesses. Que tal?

“De sacanagem”

“Ela tem razões para fazer o que ela faz”. Quais, gente? “Razões dela, horrorosas. É, estou de sacanagem com você… É que não posso ficar com vontade de puxar o cabelo da minha personagem. Tenho que saber qual é a dela e mergulhar. É uma mulher sem escrúpulos. Estou só começando. Por enquanto, não dá pra humanizar ela, não. Mas o Walcyr [Carrasco, autor da trama] é o rei da história e tem a novela inteira pela frente…”

“Pra que tanta casa em Angra? Depois vai tudo a leilão”

E se a arte imita a vida… “A única razão da vida da Sophia é ter o poder que o dinheiro pode dar. Compra quem tiver que comprar, faz o que tiver que fazer, passa por cima do que precisar. Sem limite. E claro que ela é feliz assim. Acha que a vida dela é essa. Acha que é ótima mãe, quer o melhor para os filhos, ao modo dela, segundo os valores dela. Vai ser muito bom o telespectador poder criticar que estilo de vida é esse, que depende do dinheiro, e de mais dinheiro. As pessoas ficam fascinadas: não têm um helicóptero e uma lancha, têm cinco lanchas, dez helicópteros. O que é isso? Tem tantas Sophias por aí… Pra que tanta casa em Angra? Depois vai tudo a leilão”, provoca.

“Elite predatória”

“Ela é muito atual, a Sophia. Retrata um tipo de elite brasileira que é predatória, não quer saber de nada, só do próprio umbigo, e o resto dane-se. Se tiver que comprar, que corromper, vai em frente, não tem problema. Pra poder ter oito lanchas, e eu nem sei pra que serve ter três. E acabou. E pra gente, nada. Pelo contrário. Quanto menos você tiver, mais eles vão ter e isso que importa”.

“Nunca tive um anel de esmeralda”

Uma curiosidade pessoal? Ao contrário de sua personagem… “Não gosto de joias, gosto de bijuterias, coisas de prata, modernas. Não prestava nem atenção, agora as pedras pulam em cima de mim, estou interessadíssima. Mas nunca tive um anel de esmeralda”. (por Michelle Licory)