14.10.2015  /  8:37

Hermès aposta no Brasil como potência do hipismo e revela talentos

IMG_0244
Os obstáculos Hermès na Sociedade Hípica Paulista || Créditos: Divulgação

O fim de semana foi agitado na Sociedade Hípica Paulista, no Brooklin, em São Paulo. Tudo porque rolaram por lá as finais da 25ª edição do SHP Indoor – patrocinado pela SKY -, com competições que reuniram velhos e novos talentos do hipismo brasileiro, como Doda Miranda, Rodrigo Pessoa e Pedro Muylaert.

Junto ao campeonato aconteceu a final do primeiro Circuito Hermès Young Talent no Brasil. O projeto nada mais é do que uma aposta da marca em jovens cavaleiros e amazonas e uma maneira de descobrir novos talentos do esporte. Realizado em conjunto com a Confederação Brasileira de Hipismo, o Circuito teve outras quatro etapas de competições de salto das quais participaram jovens entre 16 e 25 anos. As quatro etapas anteriores aconteceram em São Paulo, Curitiba e Rio.

Glamurama foi até a Hípica nessa sexta para bater um papo com Marion Bardet, diretora da divisão equestre da Hermès, e o campeão olímpico Rodrigo Pessoa, que vieram ao Brasil para a final e entregaram o prêmio para o grande vencedor, Victor Mariano Luminatti: dez dias de treino com Rodrigo durante o Winter’s Equestrian Festival, em Wellington, na Flórida.

Rodrigo Pessoa, Victor Luminatti e Marion Bardet || Créditos: Divulgação
Rodrigo Pessoa, Victor Luminatti e Marion Bardet || Créditos: Divulgação

Marion falou sobre a relação da marca com o universo equestre e a longa tradição de artigos para montaria que levou a marca ao patamar atual. “A Hermès nasceu fazendo produtos para cavalos em 1837. Fala-se lá que o nosso primeiro cliente é o cavalo”, contou ela. “Quando o cavalo foi ultrapassado pelo carro, a Hermès também teve que se renovar. A precisão nos detalhes de selas e outros artigos equestres influenciou todas as criações seguintes de Hermès”, explicou.

Atualmente, a representação da divisão equestre no faturamento total é bem pequena, mas ganha cada vez mais investimento devido ao fato de ser uma tradição na marca. “São as origens de Hermès e é o produto de coração, que tem mais valor sentimental do que financeiro”, contou Marion.

Marion Bardet, diretora da divisão equestre da Hermès e o campeão olímpico Rodrigo Pessoa || Créditos: Divulgação
Marion Bardet, diretora da divisão equestre da Hermès e o campeão olímpico Rodrigo Pessoa || Créditos: Divulgação

Rodrigo Pessoa é um dos consultores equestres da marca, cargo que herdou do pai, o cavaleiro Nelson Pessoa. O trabalho consiste em dar pitacos profissionais aos novos lançamento da Hermès: “a casa tem uma experiência muito grande na área, mas eles mandam alguns protótipos para eu dar opiniões de quem realmente usa o produto no dia a dia. É importante entender o desempenho do produto, como ele reage à utilização, lavagem etc”, explicou Rodrigo.

Suas expectativas para o Rio 2016? “Aí vem uma safra muito boa de cavaleiros. É uma grande oportunidade poder participar de uma Olimpíada em casa. Então nosso objetivo é formar uma equipe forte, se preparar muito bem, chegar aqui e tentar fazer o nosso melhor e que isso seja suficiente para trazer medalhas para o Brasil”, finalizou ele.