17.04.2018  /  16:26

Herdeiro americano que teve lucro bilionário com criptomoeda é encontrado morto no México

Matthew Mellon || Créditos: Getty Images

O grand monde internacional foi pego de surpresa nesta terça-feira com a notícia sobre a morte de Matthew Mellon, membro da tradicional família americana que fundou o Mellon Bank  – atual The Bank of New York Mellon – no começo do século 19, tidos como os Rothschilds dos Estados Unidos. Ele também era conhecido pelo casamento com a estilista Tamara Mellon, uma das cofundadoras da Jimmy Choo, junto com o sapateiro malaio que dá nome à grife, e que rendeu uma filha.

Segundo o comunicado divulgado por um representante do clã de banqueiros, Matthew foi encontrado morto em Cancún, no México, em circunstâncias não reveladas e onde estava para se submeter a um tratamento de reabilitação. Há anos ele tinha problemas com o álcool e vivia entre altos e baixos por causa disso. Matthew, de 54 anos, deixou ainda outros três filhos, fruto de seu último casamento com Nicole Hanley, que agora é a viúva dele.

Nos últimos anos, Matthew se aventurou no mercado das criptomoedas e fez história ao transformar um investimento de US$ 2 milhões (R$ 6,8 milhões) em uma fortuna de US$ 1 bilhão (R$ 3,4 bilhões), tanto que em fevereiro foi apontado com um dos homens mais ricos do mundo graças a fatia que mantinha na XRP, mais conhecida como Ripple, uma das principais concorrentes do bitcoin. A família dele, aliás, fez questão de mencionar o lucro estratosférico no texto que enviaram para a imprensa. (Por Anderson Antunes)