01.10.2020  /  12:29

Herdeira da Seagram é condenada a quase sete anos de prisão por envolvimento em escândalo sexual

Clare Bronfman || Créditos: Reprodução

A canadense Clare Bronfman, herdeira da gigante das destilarias Seagram, foi condenada nessa quarta-feira a 81 meses de prisão por seu envolvimento com a seita de escravas sexuais Nxivm. O escândalo estourou há dois anos, quando o criador da Nxivm, Keith Raniere, foi acusado formalmente de manter um harém formado por seguidoras da autointitulada empresa de marketing multinível que eram obrigadas a manter relações sexuais com ele. Muitas delas também eram forçadas a trabalhar sem receber qualquer tipo de remuneração para isso, e várias eram menores de idade.

Bronfman, de 41 anos, o teria ajudado a cometer vários desses crimes, apesar de ter se declarado culpada apenas de fraude em cartão de crédito e de esconder uma imigrante em sua casa para ajudar Raniere, cuja condenação será anunciada somente no próximo dia 27. Outra que também terá sua pena revelada no fim do mês pelo mesmo caso é Allison Mack, uma das estrelas de “Smallville”, que chegou a ser presa em 2018 mas foi solta depois de pagar uma fiança de US$ 5 milhões (R$ 28,2 milhões).

Já India Oxenberg, neta da princesa Elizabeth da Iugoslávia, tem atuado até agora como testemunha em uma ação na qual Mack e Raniere ainda são réus. Oxenberg teria sido recrutada para a Nxivm por intermédio da atriz, que também tentou fazer o mesmo com Emma Watson, e só não se envolveu mais no imbróglio porque sua avó interviu para salvá-la antes disso. (Por Anderson Antunes)