11.02.2020  /  18:43

Grandes vencedores do Oscar, os coreanos invadiram de vez o ocidente… Confira como tudo aconteceu!

Do K-Pop ao Oscar: a Coréia do Sul está dominando o mundo / Crédito: Reprodução

Se você é do tipo que curte pesquisar sobre tendências e novidades do universo da música, cinema, TV, e até da beleza, com certeza já percebeu que existe um movimento forte vindo do outro lado do mundo, mais especificamente da Coréia do Sul. A verdade é que nunca se falou tanto sobre o país como nos últimos anos, em especial em 2019 e no início de 2020.

O auge da ‘invasão coreana’ se deu no último fim de semana, com a consagração de ‘Parasita’ no Oscar. Um grupo de atores e produtores asiáticos, encabeçado pelo cineasta Bong Joon-Ho ocuparam o palco do evento mais importante do cinema mundial e fizeram história.

Os olhos se voltaram em massa para a Coréia em 2013 com o estouro de um cantor pop meio estranho e divertido chamado Psy. O hit e o clipe de ‘Gangnam Style’, com direito a dancinha e tudo, quebraram a banca e chegaram no topo das paradas. Indícios do que viria a seguir já eram sentidos pelos mais antenados. Logo chegaram chegando os grupos de K-Pop, levando uma legião de fãs à loucura, o hype dos cosméticos coreanos, encabeçado pelas máscaras faciais que viraram a maior mania, os ‘doramas’ (séries de TV) e… por fim, o cinema.

Não é de hoje que a Coréia e Seul, sua riquíssima capital, despontam no mapa, mas de uns tempos para cá vem atingindo outros níveis de popularidade, superando o distanciamento físico, cultura e de idioma. Espia só.

A era do K-Pop
Se você perguntar para a turma mais jovem o que está bombando atualmente, com certeza vai ouvir falar de K-Pop. O ritmo nasceu na Coréia no final dos anos 1980 e ganhou força nos anos 1990. As bandas do gênero seguem o estilo ‘boyband’ ou ‘girlband’, com integrantes jovens e descolados, coreografias impecáveis e clipes superproduzidos.

Aqui no Brasil, o K-Pop entrou na esteira de Psy e seu hit ‘Gangnam Style’, há cerca de cinco anos. Grupos como SHINee, Big Bang, Blackpink (formado apenas por garotas), EXO e a mais conhecida por aqui, BTS, causam tumulto por onde passam. Play para conferir BTS feat. Halsey:

Skincare
Com a ascensão do K-Pop, o mundo voltou suas antenas para a Coréia do Sul e finalmente descobriram a gigantesca, eficiente e divertida indústria de skincare do país. A rotina de beleza das coreanas, que ganhou adeptas nos quatro cantos do planeta, consiste em 10 passos, que vão da limpeza inicial até a aplicação de essências naturais e das famosas máscaras de faciais que prometem relaxar e regenerar a pele.

A maquiagem das coreanas também faz sucesso. Empresas ocidentais correram para lançar seus próprios ‘liptints’, produto multiuso que já era muito usado por lá. A onda da pele ‘juicy’ (suculenta) também é made in Coréia. Agora são eles que ditam as novidades no mercado da beleza. Vem de lá também os

Chegou na Netflix
Música, beleza e… séries! A Netflix sacou o movimento e tratou de incluir diversos ‘doramas’ – como são chamadas as séries televisivas na Coréia – em seu catálogo. O serviço de streaming está sempre renovando a lista de produções, mas podemos citar alguns que você vai encontrar lá: ‘Oh My Ghost’, ‘Mr.Sunshine’, ‘Black’, ‘Saimdang, Let’s Diary’, ‘Persona’, ‘Memórias de Alhambra’, ‘One More Time’, ‘Live’, ‘Last’, ‘Incomplete Life’, ‘Kingdom’, ‘Romance is a Bonus Book’ e ‘My First First Love’.

E não se preocupe, tem para todos os gostos, desde romance e terror até drama.

O Oscar
Depois de algumas produções coreanas terem sido elogiadas pela crítica ocidental, como ‘Invasão Zumbi’, ‘Sonhos Lúcidos’ e ‘The Drug King’, o lacre rolou com ‘Parasita’, filme de Bong Joon-Ho lançado em novembro do ano passado.

O longa, que conta a história de uma família desempregada que engana e se infiltra na casa de uma família rica, conquistou o público ao mostrar o choque de classes existente no país, mesmo problema visto de muitos outros países, e misturar a isso elementos e situações quase surreais. O resultado? Nada menos que quatro estatuetas do Oscar, incluindo a de Melhor Filme, dada pela primeira vez na história a uma produção de língua não inglesa. Bong Joon-Ho e a equipe de ‘Parasita’ escancararam de vez as portas do ocidente para a cena coreana. Apenas aguarde o que vem por aí!