28.02.2020  /  10:13

Governo canadense anuncia que vai deixar de bancar a segurança de Meghan e Harry

O PM Justin Trudeau, Harry e Meghan, e soldados da RCMP || Créditos: Reprodução

Agora é oficial: o Canadá não vai mais bancar os custos pela segurança pessoal de Meghan Markle e do príncipe Harry assim que os dois deixarem pra valer de ser membros da família real do Reino Unido, o que deve acontecer em algumas semanas. A Polícia Montada Real Canadense (RCMP, na sigla em inglês), que desde o anúncio do #Megxit e da decisão do ex-casal real de passar mais tempo no país da América do Norte vinha auxiliando a Polícia Metropolitana de Londres no que diz respeito à proteção dos dois, justificou em comunicado que a ex-atriz e o sexto na linha de sucessão ao trono britânico já não são mais reconhecidos como Pessoas Protegidas Internacionalmente como os outros Windsors e, por isso, não têm mais direito ao benefício.

“Como a duquesa e o duque de Sussex mudaram de status, o Canadá não tem mais a obrigação de fornecer a eles assistência de segurança na medida do necessário”, explicaram os representantes da RCMP no comunicado. Meghan e Harry perderam várias outras regalias quando disseram “goodbye” para a realeza mais famosa do mundo e, em consequência, precisaram abrir mão de seus títulos de Suas Altezas Reais. Mas o que realmente pesou na decisão da RCMP, que é subordinada ao governo do primeiro-ministro Justin Trudeau, foi a reação em massa de contribuintes canadenses contrários à ideia de que os Sussexes fossem bancados pelo estado, o que rendeu até uma petição online assinada por mais de 80 mil pessoas. (Por Anderson Antunes)