21.10.2014  /  11:32

Globais opinam sobre a eleição presidencial. Só para o Glamurama!

Fazia tempo que o Brasil não presenciava uma disputa eleitoral tão acirrada. As eleições para Presidente da República estão mexendo com os ânimos dos brasileiros, e discussões engajadas já viraram rotineiras dentro e fora das redes sociais. Não importa o partido, o importante é participar desse momento político. E Glamurama quis saber o que alguns globais têm achado de tudo isso. Thiago Lacerda, Christiane Torloni e outros atores respondem.

Thiago Lacerda, ator: “Está esquisito, estranho. As pessoas têm uma forma estranha de exercer a opinião e levantar pontos de vistas. Parece que virou uma luta de “nós contra eles”, “o mundo contra nós”, de todos os lados. Lidar com as diferenças está difícil e isso é fomentado, inclusive, pelas pessoas que se dizem tolerantes. Nunca esteve tão evidente a dificuldade em alinhar discurso e ação. As pessoas falam o que pensam e na hora de realizar se traem de alguma forma”

 Christiane Torloni , atriz: “Acho interessante quem anulou o voto nas ultimas eleições, mas agora está atrás dos candidatos para votar. O legal é ver quanto o seu voto pode mudar tudo, o poder do um tem valor importantíssimo. Nem sempre a plataforma do seu candidato é do seu coração, mas tem que olhar e ver o que é melhor pra todos, não apenas para o seu quintal, mas pro Brasil”

 

Alto Astral

Edson Celulari, ator: “Eu gostaria de ver debates que discutissem temas importantes de formação de projetos, que o país precisa tanto. Menos baixaria. Uma pena que isso não esteja acontecendo. Agora é aguardar que o país escolha o melhor para os próximos quatro anos”

 

Monica Iozzi: “Quem perde é o eleitor porque a discussão está muito profunda, só que do lado errado. Acompanho esse processo e fico triste pelo público, que já tem pouco tempo para ver as propostas e os debates ficam só nas trocas de acusações. Tanto que nem consigo ver até o final”

 

Silvia Pfeifer, atriz: “Acho que é preciso ser engajado, mas tem que manter um bom nível. E respeitar opiniões. Pena que no Brasil tenha ido para um nível tão baixo. Ganhe quem ganhar, torço para que seja realmente uma mudança e que caia a ficha para que as prioridades sociais voltem e que o ser humano esteja em primeiro lugar, o planeta, o meio ambiente e todas essas coisas”

 

Totia Meireles, atriz: “Não estou pensando muito nisso porque eu não votei e não vou votar, por conta de viagens. Graças a Deus eu não vou fazer parte disso, não vou ser responsável por nada disso. Mas eu acho tudo estranho e interessante porque o Brasil está mais politizado e se posicionar é maravilhoso, mostra maturidade. Pena que não temos políticos a nossa altura”.