26.04.2019  /  11:00

Glamurama faz aniversário…Confira aqui alguns de nossos desejos para o novo ciclo

Happy Bday || Créditos: Divulgação

O tempo voa e Glamurama completa mais um aniversário em maio. São 19 anos de muita curtição, viagens, causas e história para contar. Mas queremos sempre mais. E o que um jovem quer da vida? Aqui nossas 19 sugestões do que estamos doidos para fazer nos próximos anos. Espia só:

1 – Colaborar com uma ONG

2 – Fazer um intercâmbio voluntário

3 – Ler clássicos da literatura como “A Casa dos Budas Ditosos”, de João Ubaldo Ribeiro

View this post on Instagram

Leitura 02/2018 A Casa dos Budas Ditosos, de João Ubaldo Ribeiro ☆☆☆☆☆ Um manifesto à liberdade sexual, à liberdade de ser o que se é. A Casa dos Budas Ditosos faz parte d’A Coleção Plenos Pecados, composta por sete escritores diferentes em que cada livro tem como tema um pecado capital. Temos, neste livro, o retrato da Luxúria, sob o ponto de vista de uma senhora de sessenta e poucos anos, a trazer à tona memórias de seu passado libertino em uma época mais falsamente pudica que a nossa. Um relato que, apesar de feito há quase vinte anos, consegue ser tão presente, tão atual. Com um tom próprio de erudição informal, ela mergulha em passagens importantes de sua vida à medida que nos insere em todo um contexto histórico-social que muito diz sobre o nosso comportamento sexual. Põe-se a explorar o ser humano quanto animal voltado à satisfação das necessidades do corpo. Este livro consegue ser divertidissimamente excitante sem cair em repetições, e a narradora só engrandece a leitura com suas conclusões, às quais concordei em boa parte, a respeito do que está sendo discutido, de uma firmeza e sabedoria próprias de quem vivenciou cada momento. Quando me atentei a ler A Casa dos Budas Ditosos, sabia brevemente do que se tratava, e, devido a certos comentários, esperava um pouco mais. No entanto, isto não prejudicou de forma alguma a leitura, só me fez perceber que certos conceitos perderam a sua consistência para mim. Por fim, trata-se de uma leitura fluida, despretensiosa, agradável. É um livro que recomendo. "Sabe o que é a vida? É foder. A vida é foder. Note bem: esta, partindo de mim, é, como eu já sugeri, uma afirmação refinadíssima, não tem nada a ver com enunciados idênticos, mas simplesmente grossos ou instintivos. O meu enunciado é fruto de muita vivência e processamento dessa vivência. A vida é foder, em última análise. É uma pena que a maioria nunca chegue nem de longe à plenitude que esta constatação oferece, uma grande pena mesmo." #literatura #literaturabrasileira #plenospecados #luxúria #acasadosbudasditosos #joãoubaldoribeiro

A post shared by IstoÉLiteratura (@fontedeliteratura) on

4 – Ir a uma ópera, como Rigoletto que estreia no Theatro Municipal, em junho.

5 – Fazer meditação – se espiritualizar é preciso

6 – Aprender a cozinhar ou fazer um curso de culinária

7 – Se hospedar na casa de Claude Monet, na França, que pode ser alugada no Airbnb

8 – Cantar suas músicas preferidas no meio da sala – sozinho e sem roupa, que tal?

9 – Fazer uma aula de arranjos de florais inusitados

10 – Pesquisar destinos diferentões para uma viagem de final de ano – que tal Bratislava ou Zagreb? 

11 – Redesenhar seu grupo de amigos e conhecer novos, mais estimulantes e desafiadores

12 – Juntar os trapinhos e brincar de casar

13 – Escolher um alter ego e fazer esconde-esconde com seu próprio ego – será que pirei?

14 – Pilotar um possante movido a energia elétrica que não polui o meio ambiente

15 – Fazer um dia da semana sem carne, afinal o futuro é vegetariano

16 – Fazer um piercing

17 – E uma tatuagem, claro – ou duas!

18 – Praticar a empatia – palavra e atitude pouco usada até pouco tempo atrás, mas que tem se tornado uma das práticas mais importantes da atualidade

19 – E por fim, realizar mais e mais e mais sonhos.