12.05.2018  /  9:00

Glamurama entrega dez incríveis cidades muradas que vão te levar à época medieval

Por milhares de anos as cidades tinham que construir grandes muros para se protegerem de ataques inimigos. As cidades muradas possuíam acessos bem restritos, muitas vezes cercadas por água, onde só era possível entrar através de portões. Em todo o mundo, especialmente na Europa e na Ásia, é fácil encontrar muralhas monumentais, normalmente construídas em rochas, que levaram décadas para ficarem prontas e hoje são atrativos turísticos encantadores com direito à explorações, passeios por castelos ou ao longo das paredes, lojas e restaurantes em praças medievais. Neste roteiro, dez dessas cidades para conhecer já!

Pingyao, China

Pingyao, China || Créditos: Divulgação

Na província de Shanxi, a cidade chinesa de Pingyao, do século XIV, já foi o principal centro financeiro com metade dos bancos do país. Atualmente mantém o traçado das dinastias Ming e Qing que, junto com seus impressionantes muros da cidade, foram considerados Patrimônio Mundial, em 1997. A construção das muralhas da cidade começou sob o Imperador Hongwu, em 1370. Elas têm 12 metros de altura, um perímetro de seis quilômetros, seis portões, 72 torres de vigia e um fosso no exterior.

Carcassonne, França

Carcassonne, França || Créditos: Divulgação

Depois do Tratado dos Pirineus, em 1659, Carcassonne não guardava mais a fronteira e suas belas construções em pedra e torres deterioravam-se até os comerciantes gritarem: “Abaixe-a”. Felizmente foi classificado como monumento protegido ,em 1849, e o arquiteto Eugene Viollet-le-Duc foi contratado para restaurá-lo. Seu trabalho foi uma das razões para a listagem como Patrimônio Mundial. Os turistas podem visitar o Château Comtal dentro da cidade murada, examinar a Basílica de Saint-Nazaire e Saint-Celse, ou curtir uma refeição com vinho da região em La Bonne Demeure, que fica na praça medieval.

York, Inglaterra

York, Englan || Créditos: Divulgação

A histórica cidade de York, no norte da Inglaterra, tem muita história – e muitos fantasmas, tanto que o The Original Ghost Walk de York, se intitula o primeiro passeio fantasma exclusivo do mundo. York tem uma proporção significativa de suas muralhas intactas, mais do que qualquer outra cidade da Inglaterra. Por lá, é possível caminhar ao longo delas parando em pequenos museus em alguns dos portões locais.

Dubrovnik, Croácia

Dubrovnik, Croácia || Créditos: Divulgação

A maioria das muralhas e fortificações em torno do antigo centro da cidade portuária de Dubrovnik, no Mar Adriático, foi construída durante os séculos XIV e XV, mas algumas partes foram ampliadas e melhoradas até o século XVII. Nenhum exército hostil os violou durante a Idade Média e, enquanto o terremoto de 1667 destruiu muitos prédios, deixou os muros praticamente ilesos. A dica é caminhar pelo circuito de dois quilômetros das paredes para uma vista fantástica do mar. Você também pode admirar a cidade antiga que fica dentro das muralhas.

Xi’an, China

Xi’an, China || Créditos: Divulgação

Do lado de fora do muro fortificado em Xi’an existe um contraste impressionante. No primeiro plano está uma torre de vigia, um canhão e uma lanterna chinesa vermelha. Algumas distâncias dali, um moderno edifício de apartamentos foi construído. A muralha foi reconstruída em 1378 pelo Imperador Ming Zhu Yuanzhang. É uma das muralhas fortificadas mais bem preservadas do mundo, com 12 metros de altura, 12 a 18 metros de espessura e 14 quilômetros de comprimento. Caminhar ao longo do topo é uma boa maneira de ganhar uma perspectiva de cidade, embora os turistas sejam vistos com mais freqüência em bicicletas – há muito espaço lá, a largura da parede foi projetada para facilitar os movimentos das tropas.

Obidos, Portugal

Obidos, Portugal || Créditos: Divulgação

Cercada por muralhas medievais, a cidade de Obidos, no topo da colina, com o seu castelo mouro, foi recapturada pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, em 1148. Desde então e até 1883 foi propriedade das rainhas de Portugal. Os visitantes que realmente querem reviver o tempo medieval devem visitar no mês de julho o Mercado Medieval – por duas semanas, ele abriga um mercado antigo e completo com bandeiras heráldicas, malabaristas, menestréis e banquete. Você pode até beber de uma caneca de estanho para entrar no espírito da cidade.

Quebec City, Canadá

Quebec City, Canadá || Créditos: Divulgação

OK – esta não é tecnicamente medieval. Mas ainda assim é antiga e caminhar pelas muralhas dos 4,6 quilômetros da cidade e pelos portões da velha Quebec é uma experiência histórica, sendo uma das poucas cidades da América do Norte a preservar sua linha de defesa fortificada. O “novo” Portão de São Luís, reconstruído em 1878, é testemunho de seus esforços e proporciona uma sensação charmosa do velho mundo.

Taroudant, Morocco

Taroudant, Morocco|| Créditos: Divulgação

A partir de 1509, Taroudant foi a capital da dinastia Saadi de Marrocos, até que se mudou para Marrakech. Mohammed ash-Sheikh construiu as muralhas da cidade e construiu a grande mesquita e seu minarete, em 1528.
As paredes de terra vermelha cercam praticamente toda a cidade e têm seis quilômetros de comprimento com baluartes e portões. Situado no vale de Sous, no sul do país, o souk árabe de Taroudant vende uma variedade de artesanato, incluindo cerâmica, trabalho de cobre, tapetes e jóias.

Mystras, Grécia

Mystras, Grécia|| Créditos: Divulgação

Nem toda cidade murada ainda é habitada. No Monte Taygetos, perto de Esparta, no Peloponeso, está o tesouro arqueológico que é a cidade abandonada de Mystras, onde o último imperador bizantino, Constantino XI Palaiologos, foi coroado em 1449. Mystras foi fundada em 1249 por um cruzado franco, Guilherme II de Villehardouin, mas logo ficou sob controle bizantino e depois caiu para os turcos em 1460. Eventualmente, os habitantes de Mystras desistiram e se afastaram. Entre vários locais religiosos em Mystras, a igreja de Nossa Senhora Peribleptos é decorada com afrescos raros que são exemplos perfeitos da arte bizantina que data do século XIV.

Avila, Espanha 

Avila, Espanha || Créditos: Divulgação

Quando governada por árabes, a cidade de Ávila sofreu sucessivos ataques de reinos cristãos ibéricos até ser abandonada. Foi repovoada sob o domínio do cristão Raymond de Borgonha, no século 11 e ele começou a construir as muralhas defensivas. Com 88 torres semi-circulares pontuando seu perímetro de 2,5 quilômetros, a parede é uma visão impressionante. Um dos seus seis portões leva diretamente até a catedral gótica, que é uma fortaleza virtual fixada na parede. A cidade foi o berço de Santa Teresa de Ávila, uma proeminente freira carmelita e mística. Também antes do século XVIII havia mais de 100 mansões na cidade, razão pela qual seu nome completo é Ávila de los Caballeros, ou Ávila dos Nobres.