28.01.2021  /  12:20

Fungos, tarô, looks monocromáticos e conjuntos se destacam nos desfiles da Semana de Moda de Paris

Chanel, Fendi, Raf Simons e Stella McCartney / Crédito: Divulgação

Um ano já se passou desde o início da pandemia e o coronavírus ainda é uma realidade que precisamos encarar. Por isso, o Semana de Moda de Paris 2021 segue no padrão de desfiles virtuais e alguns físicos com diversas regras a serem cumpridas. Apesar das restrições, as marcas mais importantes do mundo encontraram uma maneira de mostrar as suas novas coleções, usando a tecnologia a seu favor.

Mas, o público quer mesmo é ver as criações dos estilistas e saber quais são as tendências para a próxima temporada. Os desfiles que rolam nesta semana apresentam as novidades de alta-costura para a primavera-verão. Para 2021, a moda das peças oversized segue em alta, tanto blusas, calças e jaquetas como vestidos estruturados, soltos e confortáveis. Além disso, diversas marcas, como Chanel, Fendi, Raf Simons e Stella McCartney já mostraram que podemos esperar por visuais monocromáticos e conjuntos nas vitrines, em breve. Transportado direto dos anos 1980, a tendência dos conjuntos tem como ponto alto a versatilidade e abrange os estilos mais diferentes.

Pantone

Nina Ricci / Crédito: Divulgação

Nina Ricci apresentou um desfile com peças nos tons do ano divulgados pela Pantone: cinza e amarelo, que trazem uma composição perfeita unindo sobriedade e alegria. As peças foram vistas por muitos como um retorno às origens da marca e, além da paleta de cor, os looks chamam a atenção pelo volume e dinamismo, misturando texturas e apresentando um padrão um tanto quanto ‘abstrato’. Aposte, sem dúvidas, nessa combinação de cores.

A beleza do tarô em peças sem gênero

Dior / Crédito: Divulgação

A Dior surpreendeu ao trazer uma coleção mágica, que explora os limites do masculino e do feminino. As peças são inspiradas em cartas de tarô já muito apreciadas por Christian Dior e exploradas neste ano pela atual diretora criativa da marca, Maria Grazia Chiuri, que convidou uma taróloga para ler a sua sorte e da equipe do ateliê. O momento, claro, também serviu de inspiração e o resultado é mais de 40 looks impecáveis representando cada arcano do tarô.

Com referências europeias de séculos passados, a Dior também aposta em peças sem gênero. Os tons mais trabalhados foram o dourado e o azul escuro em uma coleção cheia de símbolos e significados. A marca lançou também um vídeo, em que as cartas – e as roupas – ganham vida. A Dior acabou ganhando destaque pela coleção, e não é à toa.

A sofisticação dos fungos

Iris Van Harpen / Crédito: Divulgação

Sempre com looks inovadores, Iris Van Herpen trabalhou nesta temporada o diálogo entre o terrestre e o mundo subterrâneo com a coleção nomeada ‘Roots Of Rebirth’. A ideia principal é explorar um mundo desconhecido e, mais precisamente, o império de fungos. Segundo a própria marca, “a coleção detalha a existência extraordinária deste ‘tecido da vida’ sinuoso”. As peças foram inspiradas no livro do biólogo Merlin Sheldrake, em que observa que “os fungos são o tecido conectivo ecológico, a costura viva pela qual grande parte do mundo é costurada”.

Na coleção, vestidos bem estruturados chamam a atenção com detalhes de raízes bordadas e um trabalho detalhado de construções 3D.