16.02.2020  /  9:00

Fundador de fast fashion canadense é acusado de estupro em ação coletiva que corre em NY

Peter Nygard || Créditos: Reprodução

Ed Razek, o encrencado ex-diretor de marketing da Victoria’s Secret, não é o único bambambã da moda que nos últimos dias se tornou alvo de alegações sérias de que teria cometido crimes sexuais. O canadense Peter Nygard, fundador da fast fashion que leva seu sobrenome e que tem forte presença no hemisfério norte, é réu desde a última quinta-feira em um processo coletivo aberto contra ele em uma corte federal de Manhattan no qual pelo menos dez mulheres o acusam de tê-las estuprado.

Em seus respectivos depoimentos, todas contaram a mesma história: Nygard teria conquistado a atenção de cada uma delas com promessas de que as transformaria em estrelas das passarelas e por aí vai, e em seguida supostamente as levava pra casa com o intuito de drogá-las e depois estuprá-las. Os advogados dele, no entanto, classificaram as acusações como uma tentativa de destruir sua reputação. “São todas falsas e sem fundamento”, disseram.

Nygard fundou a Nygard International em 1967 em Winnipeg, no Canadá. Atualmente, a rede de lojas de roupas conta com 200 pontos de venda no país e nos Estados Unidos, onde também é bastante popular. Com receitas anuais de US$ 500 milhões (R$ 2,16 bilhões), a Nygard International já atraiu o interesse de gigantes internacionais como a Inditex, dona da Zara, mas Nygard, que é tido como um dos criadores do conceito de fast fashion, nunca quis se desgazer se seu negócio. (Por Anderson Antunes)