03.03.2020  /  16:51

Fundação Cacique Cobra Coral é convocada pelos chineses para antecipar verão e controlar a epidemia do coronavírus

Chineses se protegem do frio e do coronavírus || Créditos: Getty Images

A Fundação Cacique Cobra Coral, criada para intervir nos desequilíbrios provocados pelo homem na natureza, está com uma responsabilidade e tanto: antecipar a chegada do verão na China, que só começa oficialmente em junho. O objetivo? Diminuir a disseminação do coronavírus, que já matou mais de 2.700 chineses e se espalhou pelo mundo todo. Quem revelou a estratégia chinesa para o Glamurama foi Osmar Santos, porta-voz da Cobra Coral: “Eles encontraram na fundação o plano B para diminuir a contaminação e os esforços serão feitos para adiantar o verão por lá e no Japão também”. A expectativa é que as temperaturas já estejam mais altas a partir de abril, fazendo com que a população fique mais ao ar livre, longe de aglomerações e lugares fechados.

O trabalho, que envolve a entidade do cacique que dá nome à fundação, tem sido realizado a partir de Nova York e da sede da fundação em Guarulhos, mas nesse domingo toda a equipe zarpou para Istambul por conta da proximidade com os locais afetados: “Nossa operação foi alterada para estarmos mais perto da Ásia e da Europa”, afirma Osmar.

*

Em tempo: Essa não é a primeira vez que os médiuns da fundação trabalham para a China. Em 2016, eles chegaram a negociar uma mudança para lá, mas o cacique vetou. “Continuamos ajudando à distância na despoluição do país e, em troca, eles trabalham para diminuir a produção tóxica das fábricas e dos carros. Podemos afirmar que eles fizeram a lição de casa”, finaliza o porta-voz.